Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de abril de 2017. Atualizado às 00h31.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

libertadores

13/04/2017 - 00h19min. Alterada em 13/04 às 00h33min

Com gol aos 54 minutos do segundo tempo, Palmeiras bate Peñarol na Libertadores

O Palmeiras nesta Copa Libertadores tem sido um time do apagar das luzes, do último respiro. Após ganhar na estreia em casa com um gol aos 50 minutos do segundo tempo, a equipe foi ainda mais tardia nesta quarta-feira. O gol da vitória por 3 a 2 sobre o Peñarol, no Allianz Parque, saiu aos 54 minutos da etapa final.
O herói do jogo épico foi Fabiano. O lateral está longe de ser o mais festejado pela torcida e marcou apenas o segundo gol pelo clube. O outro tem ainda mais peso histórico, pois foi o do título brasileiro do ano passado, contra a Chapecoense. Agora, o resultado positivo coloca a equipe como líder do Grupo 5 da competição, com sete pontos.
A torcida do Palmeiras aos poucos se acostuma com a tensão inerente aos jogos da Libertadores. Se na rodada anterior, contra o Jorge Wilstermann, o gol também veio nos acréscimos, diante do Peñarol viu o time perder muitos gols e novamente ter o resultado sob suspense até quase depois dos acréscimos. Pelo menos de luta, não se pode reclamar.
O técnico Eduardo Baptista repetiu pela primeira vez a formação do Palmeiras no ano. A escalação foi a mesma usada contra o Novorizontino, na última sexta-feira, mas os jogadores fizeram uma partida bem diferente, principalmente em termos de comportamento. Chegar ao gol do Peñarol significava ter de contornar a marcação, fugir das faltas e desviar de carrinhos.
Dudu era o mais capacitado para essa dura travessia. Sozinho, porém, era apenas um solitário alviverde contra pelo menos dois marcadores a cada jogada. Os uruguaios jogavam ao seu estilo, ao ganharem o máximo de tempo possível com o jogo parado e brigarem o quanto podiam nas divididas.
O preço dessa entrega saiu barato para o Peñarol no primeiro tempo. Ter recebido três cartões amarelos pelas várias faltas cometidas é quase nada diante do imenso lucro da vitória parcial Um escanteio terminou com o gol de cabeça do zagueiro Arias, aos 31 minutos.
A desvantagem desorganizou o Palmeiras. Por pouco o Peñarol não fez 2 a 0. Fernando Prass salvou e deu a possibilidade de o intervalo e a conversa no vestiário salvarem o trágico resultado da etapa inicial.
A oportunidade bastou para o jogo mudar. O segundo tempo foi uma jornada tão diferente que em cinco minutos a história era outra. Willian empatou no primeiro minuto, Dudu virou aos cinco. Borja ainda teve um pênalti para ampliar, aos nove. O chute foi para fora.
Para conseguir essa reviravolta o Palmeiras imprimiu um ritmo forte. A equipe voltou disposta a conseguir a virada de qualquer jeito, com uma velocidade impressionante capaz de fazer o Peñarol apanhar na bola e em pouco tempo tudo o que havia batido até então.
Apesar da reação, o jogo não estava resolvido. O Peñarol continuou a ameaçar nas jogadas aéreas. Para a angústia da torcida, novamente o grito do terceiro gol ficou abafado. A defesa uruguaia tirou em cima da linha um chute de Tchê Tchê. A punição veio na sequência, quando uma falta cobrada até a área rendeu o empate aos 30 minutos, com Gastón Rodríguez.
A angústia piorou porque logo na sequência outra chance incrível foi perdida. Willian driblou o goleiro e ao finalizar, chutou no travessão. Tudo isso deixou o resultado de empate como um tremendo prejuízo, capaz de irritar e causar a expulsão de Dudu, já nos acréscimos. Sorte que para o Palmeiras, o jogo demora para acabar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia