Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 27 de abril de 2017. Atualizado às 12h27.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

Alterada em 27/04 às 12h29min

Lucro líquido da Total sobe 77% no primeiro trimestre de 2017

A gigante petrolífera francesa Total teve lucro líquido US$ 2,8 bilhões nos primeiros três meses de 2017, um aumento de 77% em relação ao ano anterior. Os lucros foram impulsionados pelo aumento dos preços do petróleo, pelo avanço da produção e pela queda dos custos.
O lucro líquido ajustado de US$ 2,6 bilhões superou as expectativas dos analistas em US$ 200 milhões. A empresa disse que está em vias de cumprir suas metas financeiras para o ano e já reduziu seu índice de endividamento líquido para 23%, de 27% no final de 2016.
A receita, por sua vez, totalizou US$ 41,183 milhões ante US$ 32,841 milhões registrados em igual período do ano passado. Às 8h05 (de Brasília), a ação da Total recuava 0,30%.
A petrolífera informou que está olhando oportunidades de investimento proporcionadas pela queda acentuada dos preços do petróleo nos últimos três anos. A empresa anunciou hoje seus planos de aumentar a produção de gás de xisto na promissora região de Vaca Muerta, na Argentina, e aumentou sua participação no bloco Absheron do Azerbaijão em 10%.
Os movimentos vêm na esteira de uma série de investimentos recentes e acordos de parceria, incluindo planos para gastar US$ 1,7 bilhão no desenvolvimento de atividades petroquímicas no Texas e uma aliança estratégica com a Petrobras. A Total disse ainda que está lançando novos projetos para "aproveitar as oportunidades oferecidas pelo atual ciclo do petróleo", mas está mantendo seus gastos de capital entre US$ 14 bilhões e US$ 15 bilhões. Fonte: Dow Jones Newswires
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia