Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 25 de abril de 2017. Atualizado às 14h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Alterada em 25/04 às 14h04min

Acordo UE-Mercosul está mais perto do que nunca, diz primeiro-ministro espanhol

Em visita ao Brasil, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse nesta terça-feira, que o tratado de livre comércio entre a União Europeia e o Mercosul está "mais perto do que nunca". Segundo o chefe do governo espanhol, os dois blocos devem acelerar as negociações para que o acordo seja alcançado ainda neste ano.
"A Espanha está fazendo tudo o que é possível para agilizá-lo na União Europeia", afirmou Rajoy ao abrir no período da manhã um encontro empresarial com lideranças dos dois países na zona sul da capital paulista. Mais cedo, o acordo dos blocos, colocado como prioridade na política externa do governo Temer, voltou a ser tema de uma reunião entre o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, e a secretária de comércio da Espanha, Maria Luisa Poncela.
Também presente à cerimônia de abertura do encontro empresarial, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, agradeceu em seu discurso o empenho do governo espanhol para tornar viável o acordo. Informou ainda que os governos dos dois países voltam a se encontrar em Madri no dia 10 de julho, quando o chanceler disse esperar um "novo impulso" nas negociações, de maneira que um marco geral do acordo possa ser alcançado no fim do ano.
O ministro brasileiro considerou que os empresários brasileiros percebem hoje que tem mais a ganhar com a integração das cadeias produtivas. Já Rajoy, que classificou o Brasil como país prioritário aos interesses comerciais espanhóis, destacou as vantagens de um acordo entre Mercosul e União Europeia, citando a criação de um mercado de 700 milhões de consumidores e a facilitação nas relações entre as empresas. Porém, mais do que isso, o primeiro-ministro frisou que o êxito nas negociações transmitiria à comunidade internacional uma mensagem positiva de abertura comercial, num momento em que discursos nacionalistas ganham força em países desenvolvidos.
Marcos Pereira, que também discursou na cerimônia, avaliou que as negociações em torno do livre comércio entre sul-americanos e europeus estão evoluindo "satisfatoriamente" nos capítulos normativos. Lembrou também que mais duas rodadas de negociação estão marcadas para este ano. "O engajamento empresarial é imprescindível para alcançarmos êxito e para que o acordo de comércio seja abrangente", salientou o ministro da Indústria.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia