Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 23 de abril de 2017. Atualizado às 22h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Turismo

Notícia da edição impressa de 24/04/2017. Alterada em 23/04 às 20h41min

Estado terá cursos gratuitos para o mercado de viagens

Entre os cursos técnicos, estudantes podem optar por hospedagem

Entre os cursos técnicos, estudantes podem optar por hospedagem


MATEUS BRUXEL/ARQUIVO/JC
Adriana Lampert
Dentre uma série de medidas lançadas neste ano pelo governo federal com intuito de alavancar o setor de turismo, o Estado se beneficiará, principalmente, do programa de inclusão que prevê a formação gratuita de técnicos nas áreas de hospitalidade e lazer. O objetivo é atender às necessidades do mercado de viagens, qualificando estudantes do Ensino Médio, que podem optar por sete cursos (técnico em agenciamento de viagens, cozinha, eventos, guia de turismo, hospedagem, lazer, restaurante e bar) desses eixos do ramo turístico. A previsão é de que as aulas comecem em agosto.
As inscrições estão abertas em 172 municípios de 18 estados que manifestaram interesse dentro do prazo estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC) - órgão parceiro responsável pela definição da política e do público do MedioTec. A modalidade do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) contará com 10 mil vagas em todo o País para atender a estudantes de escolas públicas. Os jovens terão aulas sobre processos de recepção, viagens, eventos, gastronomia, serviços de alimentação e bebidas e entretenimento. Os cursos serão presenciais (em horários diferentes dos cursos regulares do Ensino Médio) e ministrados por entidades cadastradas pelo MEC.
"Estamos aguardando os recursos", sinaliza o diretor de Turismo da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (Sedactel), Abdon Barreto Filho, ao comemorar a proposta de qualificação ofertada pelo Ministério do Turismo, que permitirá que jovens saiam do Ensino Médio já capacitados em atividades como governança em hotel, por exemplo. "É um grande avanço, pois é um caminho para resolver um dos principais gargalos ao desenvolvimento do setor, que é a carência de pessoal qualificado", avalia, por sua vez, o ministro do Turismo, Marx Beltrão.
Conforme o diretor de Turismo da Sedactel, deverão ser repassados, ainda neste ano, R$ 3 milhões para o Estado, que inscreveu municípios das 27 regiões turísticas. O MedioTec é uma proposta nova, sem precedentes no setor de Turismo, destaca a secretária Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Teté Bezerra. "Daqui a três anos, o País terá 10 mil técnicos de nível médio formados em cursos com carga horária de 800 horas", calcula.
Além da capacitação, o governo federal anunciou, neste mês, um pacote de medidas para ampliar o receptivo no País. O programa tem propostas para a desburocratização do setor, emissão de vistos eletrônicos, ampliação da malha aérea regional e abertura de 100% do capital das empresas aéreas brasileiras ao investimento estrangeiro. "Com as medidas, o governo espera gerar empregos no setor turístico", explica Beltrão.
Segundo o titular do MTur, a iniciativa "vem corrigir uma miopia histórica que o governo tem tido com o turismo brasileiro para que o setor possa ser protagonista da economia, possa gerar empregos". Para Beltrão, boa parte dos atuais desempregados, cerca de 13 milhões, pode se beneficiar do Turismo. "Basta que governo faça a sua parte retirando burocracia e aumentando a competitividade."
A expectativa do ministério é que o número de turistas estrangeiros passe dos 6,5 milhões registrados no Brasil em 2016 para 12 milhões em 2022, e que a receita com os visitantes aumente dos atuais US$ 6 bilhões anuais para US$ 19 bilhões. "São medidas importantes para destravar e dar mais agilidade à atividade", concorda o diretor da Sedactel, lembrando que a "qualificação é muito importante", assim como também o planejamento, a promoção e a avaliação do setor.

Promoção de destinos ainda é desafio para grande parte dos municípios gaúchos

O diretor de Turismo da Secretaria da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer (Sedactel), Abdon Barreto Filho, aponta que as dificuldades são grandes para a área. "Faltam recursos e boa parte das empresas do Estado são pequenas." Contando com poucos cases de sucesso no patamar de Gramado, que é o principal destino turístico do País, o Estado é carente de destinos fortalecidos, concorda o presidente regional da Associação Brasileira de Viagens (Abav-RS), João Augusto Machado.
Esses empecilhos tornam a promoção do Rio Grande do Sul como destino turístico um desafio. "Gramado consegue se vender melhor, pois trabalha com datas e eventos criados para atrair público, como o Natal Luz, de novembro a fevereiro", comenta Machado, ao destacar também as inovações, caso do Museu da Moda e do Museu do Esporte, entre outras atrações. Para o dirigente, os demais municípios da Serra e os da Campanha precisam pensar em estratégias que possibilitem o mesmo êxito de Gramado.
De acordo com Barreto Filho, 16 projetos da Consulta Popular foram aprovados neste ano, garantindo R$ 4 milhões de investimentos em infraestrutura turística para os municípios. Com a verba, serão providenciadas sinalização, construção de centros de atenção aos visitantes, pistas para ciclovias, praças de ecoturismo e revitalização de orlas, entre outros. "Todos querem fluxo de turistas, mas, para isso, teremos uma longa caminhada", avalia. Para o diretor da Sedactel, medidas como a ampliação do visto eletrônico devem auxiliar na atração do número de turistas estrangeiros. Segundo o Ministério do Turismo, a implementação deve ocorrer até o fim deste ano, contemplando turistas de países como Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão. A concessão de visto eletrônico permite que, em um prazo de 48 horas, seja feito todo o processo de solicitação, pagamento de taxas, análise, concessão e emissão de visto. Outros países estão inclusos na medida, entre eles a Índia e a China.
"Quanto mais facilitar, mais se incentiva a visitação", avalia o presidente da Abav-RS, João Machado. "Por outro lado, quando tivermos o consulado norte-americano em Porto Alegre, também irá ampliar a demanda de pessoas que queiram viajar para o Canadá e os Estados Unidos, pois os custos serão reduzidos, e ainda com a facilidade do visto de um dos dois países no passaporte valer para ambos, a partir de maio", pondera o dirigente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia