Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de abril de 2017. Atualizado às 18h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/04 às 18h51min

Dólar tem leve baixa em Nova Iorque, com investidores à espera da fala de Yellen

O dólar recuou ante algumas moedas fortes nesta segunda-feira, 10, após ter operado de lado durante o dia, com os investidores aguardando o discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Janet Yellen, que começou pouco após o fechamento das bolsas de Nova York.
No fim da tarde em Nova Iorque, o dólar caía a 110,93 ienes, a libra avançava a US$ 1,2415 e o euro operava estável, a US$ 1,0597.
Sinalizações de Yellen quanto a aumento de juros e/ou a diminuição do balanço do Fed serão levadas em consideração pelos investidores, já que a ata da reunião de março do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) apontou que o BC deve começar a reduzir seu balanço ainda em 2017. Na sexta-feira, o presidente da unidade de Nova York do Fed, William Dudley, disse que o balanço do BC deve ser reduzido e que o Fed poderia fazer uma "breve pausa" no processo gradual de elevação de juros para isso. A declaração de Dudley puxou o dólar para cima, já que juros mais altos em geral impulsionam a moeda, pois isso atrai mais investidores em busca de retorno.
O dólar ainda avançou sobre o won sul-coreano, após a notícia de que a Marinha americana teria reposicionado uma frota de porta-aviões na região da Península Coreana.
O euro, por sua vez, ficou estável ante o dólar, com investidores ponderando os riscos oriundos da disputada eleição francesa, que terá seu primeiro turno neste mês.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia