Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de abril de 2017. Atualizado às 18h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 10/04 às 18h08min

Ibovespa fecha em alta de 0,09% em pregão marcado pela cautela

A cautela foi a principal característica dos negócios desta segunda-feira (10), no mercado brasileiro de ações e retraiu is investidores. O Índice Bovespa alternou altas e baixas e fechou aos 64.649,81 pontos, um avanço de 0,09%. O volume de negócios com ações na B3 totalizou R$ 7 bilhões, contra R$ 8 bilhões da média diária de março.
Analistas apontam diversos fatores que vêm incentivando um comportamento mais cuidadoso por parte do investidor de ações, mas a reforma da Previdência é considerada o principal deles. A tensão geopolítica envolvendo Estados Unidos, Síria e Coreia do Norte também esteve no radar dos investidores, assim como as eleições na França. Entre as perspectivas positivas está a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), da qual se espera um corte de pelo menos 1 ponto porcentual na taxa Selic.
A leve alta da bolsa ao final do pregão foi garantida pelas ações da Petrobras, que terminaram o dia com ganhos significativos depois que a agência de classificação de risco Moody's elevou seu rating de longo prazo de B2 para B1. Além disso, alterou a perspectiva de estável para positiva. De acordo com a Moody's, a perspectiva reflete a expectativa de que, nos próximos 18 meses, a liquidez e o risco de crédito geral da companhia continuem a melhorar, o que poderia levar a mais elevações no rating.
Além do "upgrade", contribuiu para a alta das ações da estatal petrolífera os fortes ganhos do petróleo no mercado internacional, em meio à tensão no exterior. Com isso, Petrobras ON e PN terminaram o dia com ganhos de 1,69% e 1,63%, respectivamente.
As ações da Vale, por sua vez, sofreram com a nova queda dos preços do minério de ferro no mercado à vista chinês. Ainda assim, Vale PNA terminou o dia com leve ganho, de 0,07%, enquanto Vale ON - preferida pelos investidores estrangeiros - caiu 0,41%. Os papéis do setor financeiro enfrentaram volatilidade e, devido ao seu grande peso na composição do Ibovespa, jogaram o índice ora para cima, ora para baixo. Ao final do dia, as ações seguiram tendências diferentes. Itaú Unibanco PN fechou em baixa de 0,18%, enquanto Bradesco PN subiu 0,63%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia