Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de abril de 2017. Atualizado às 10h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

10/04/2017 - 08h15min. Alterada em 10/04 às 10h26min

Cobre opera em baixa com continuidade de realização de lucros

O cobre opera em baixa na manhã desta segunda-feira (10), dando continuidade a um movimento de realização de lucros após os ganhos que exibiu em meados da semana passada.
Por volta das 7h15min (de Brasília), o cobre para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,94%, a US$ 5.792,00 por tonelada.
Na Comex, divisão de metais da bolsa mercantil de Nova Iorque (Nymex), o cobre para maio tinha baixa de 1,15%, a US$ 2,6165 por libra-peso, às 8h (de Brasília).
O cobre está pressionado desde o fim da semana passada, quando os EUA bombardearam alvos na Síria em retaliação a um ataque químico supostamente lançado pelo regime sírio contra seus próprios cidadãos.
Segundo Alastair Munro, analista da Marex Spectron, "tensões geopolíticas continuam no radar". Ontem, por exemplo, os EUA anunciaram que estão deslocando um porta-aviões em direção à Península Coreana, após recentes testes com mísseis realizados pela Coreia do Norte.
Já o índice DXY do dólar mostra leve de tendência de alta nos negócios da manhã, o que também tende a pesar no cobre.
Na tarde de hoje, investidores ficarão atentos a um discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen, que poderá dar indicações de seus planos para as taxas de juros, que já foram elevadas duas vezes desde dezembro.
Entre outros metais básicos negociados na LME, o viés era majoritariamente negativo. O alumínio recuava 0,99% no horário indicado acima, a US$ 1.942,50 por tonelada, enquanto o níquel perdia 0,34%, a US$ 10.170,00 por tonelada, o estanho caía 0,12%, a US$ 20.240,00 por tonelada, e o zinco diminuía 0,20%, a US$ 2.681,50 por tonelada. Exceção, o chumbo subia 0,53%, a US$ 2.269,00 por tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia