Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 08 de abril de 2017. Atualizado às 12h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

Alterada em 08/04 às 12h02min

Riachuelo ganha a preferência do público classe A

Entre as redes populares de confecções no Brasil, nenhuma modificou tanto suas lojas nos últimos anos quanto a Riachuelo, que substituiu o tradicional logotipo verde por um estilo dominado pelo preto e branco. O trabalho de "repaginar" os pontos de venda começou pela unidade conceito da Rua Oscar Freire, em São Paulo, e ainda não está completo.
O presidente da Riachuelo, Flávio Rocha, diz que o processo de transformação continuará nos próximos anos. A ideia é aproveitar o momento de pausa nas inaugurações - decisão tomada no início de 2016 - para acelerar a uniformização do visual das unidades. Estão previstas 40 reformas neste ano e outras 40 em 2018.
Embora a rede tenha a expectativa de conseguir melhorar vendas e rentabilidade ao longo de 2017, a decisão sobre a retomada de uma expansão das inaugurações deve ficar para o segundo semestre "Isso vai depender de uma retomada mais sólida da economia."
De acordo com estudo da XP Check, a Riachuelo vem crescendo na preferência dos consumidores quando o assunto é loja de roupas, ficando empatada em primeiro lugar com a Renner, tradicional líder do setor.
Segundo o levantamento realizado em agosto de 2016, Renner e Riachuelo ficaram com 17% da preferência na categoria confecções Na pesquisa anterior, de janeiro, a Renner estava na primeira posição isolada, com 20%, enquanto a Riachuelo aparecia com 18%
Enquanto a Renner se isolou como a favorita da classe C, a Riachuelo ganhou espaço nos dois extremos de renda, liderando entre consumidores da classe A (18%, contra 15% da Renner) e da classe D (29%, contra 20% da concorrente).
Para abastecer as lojas, a companhia não modificou apenas seu sistema de distribuição, mas também a lógica de produção. Com a obrigação de entregar produtos mais rapidamente para substituir o que foi vendido nas lojas da Riachuelo, as fábricas da Guararapes - em Fortaleza e Natal - ficarão cada vez mais encarregadas dos produtos que refletem as últimas tendências da moda.
Os itens básicos, que têm um desenho mais perene, serão trazidos de fornecedores selecionados na China e também da fábrica que a Riachuelo desenvolveu no Paraguai, em parceria com a Texcin, do empresário Andrés Gwynn.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia