Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de abril de 2017. Atualizado às 00h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 06/04/2017. Alterada em 05/04 às 22h43min

Expoleite passará a focar também o consumo

Expectativa é transformar evento em 'mini-Expointer', diz Ernani Polo

Expectativa é transformar evento em 'mini-Expointer', diz Ernani Polo


MARCELO G. RIBEIRO/MARCELO G. RIBEIRO/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Guilherme Daroit
Mesmo chegando já em sua 40ª edição, a Expoleite-Fenasul ganhará um recomeço em 2017. Antes com foco quase que exclusivo na produção leiteira, com concursos e mostras de animais e equipamentos, a feira, a partir de agora, agregará também outros atrativos mais voltados à promoção do consumo do leite. Além disso, a organização do evento não será mais de responsabilidade exclusiva da Associação dos Criadores de Gado Holandês (Gadolando). Uma nova comissão executiva, reunindo diversas entidades rurais, assumirá a gestão da feira, que neste ano acontece de 24 a 28 de maio, no Parque Assis Brasil, em Esteio.
A nova gestão é fruto de esforço da própria Gadolando. O presidente da entidade, Jorge Fonseca da Silva, conta que, antes disso, a edição chegou a estar ameaçada por falta de recursos. "Questionamos os produtores, e 90% deles responderam que não podíamos interromper o evento", conta Silva, que, por conta do cenário atual, vê a realização da edição de 2017 como o vencimento de "uma barreira". A entidade procurou o governo estadual ainda em setembro do ano passado para externar a necessidade de maior força para a continuidade da Expoleite, segundo Silva.
A partir daí, conta ele, novos parceiros se agregaram à organização do evento a pedido da secretaria da Agricultura. Além da Gadolando, que continua com a tarefa de gerir as atividades no que tange à produção leiteira, o novo comitê engloba entidades como a Farsul, a Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag), o Sindicato da Indústria de Laticínios e Derivados (Sindilat), a Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios (Apil) e a Organização das Cooperativas (Ocergs), entre outras. A ideia, segundo o secretário estadual de Agricultura, Ernani Polo, é de que, a cada edição, uma entidade diferente assuma a liderança do comitê. Em 2017, o papel é da Farsul.
Com o novo foco, a expectativa é transformar o evento em uma "mini-Expointer" em termos de público e utilização do parque, segundo Polo. "Foram criados atrativos para buscar a presença das pessoas e estimular também o consumo", afirmou o secretário durante evento de apresentação das mudanças a imprensa e convidados. Polo utilizou o exemplo da Festiqueijo, de Carlos Barbosa, como modelo a ser seguido na divulgação dos derivados do leite. A necessidade de mostrar ao público urbano a realidade do trabalho no campo foi diversas vezes levantada pelos representantes das associações.
Para o presidente do Sindilat, Alexandre Guerra, o desafio é atrair turistas para além do público produtor, que já frequenta tradicionalmente a Expoleite. "Como indústria, temos preocupação com matéria-prima de qualidade, e isso já vinha sendo desenvolvido pela Expoleite, mas a ideia agora é conseguir despertar também novos hábitos de consumo do leite", comenta. O sindicato realizará, por exemplo, concursos gastronômicos com a utilização de derivados, além de peças de teatro voltadas ao público infantil.
Outras atividades acontecerão no parque em paralelo com a feira, como a 3ª edição do Rodeio Fenasul. O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) também promete produzir no parque "o maior arroz de leite da história", que deverá consumir 180 quilos de arroz e 1,3 mil litros de leite e, após aferição, será distribuído aos visitantes e a escolas de Esteio. O calendário completo de atividades só será concluído no início de maio, quando a 40ª Expoleite será oficialmente lançada.
A feira se beneficiará ainda da obtenção do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do parque Assis Brasil, anunciada ontem por Polo durante a apresentação das mudanças. O alvará do espaço, fruto de diversas polêmicas nos últimos anos, tem validade até dezembro de 2021.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia