Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de abril de 2017. Atualizado às 08h36.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 05/04/2017. Alterada em 04/04 às 22h56min

Supermercado Nacional

Em relação à matéria Porto Alegre perde mais duas lojas do Nacional (Jornal do Comércio, 04/04/2017), o Walmart diz que vai investir R$ 1 bilhão em lojas nos próximos três anos. Que tipo de loja surgirá com esse investimento? Questão que o Jornal Comércio poderia responder questionando os dirigentes do Walmart. Que tal a sugestão? (Walter Dworak Filho, Porto Alegre)Walter Dworak Filho, Porto Alegre)
Carne fraca
Sobre a nota Carne Fraca (coluna Repórter Brasília, Jornal do Comércio, 27/03/2017), os políticos defendem as indústrias que financiam suas campanhas eleitoreiras. E quanto à venda do Brasil, via leilão do aeroportos, é lógico que, quebrado, só pode ser vendido. Irão todos os dedos. O povo que espere os novos colonizadores. O Brasil é um país de entreguistas. (Francisco Berta Canibal, Arroio dos Ratos/RS)
Sinalização
A prefeitura/EPTC repavimentou boa parte das avenidas Osvaldo Aranha e Protásio Alves. Agora, tem que fazer a sinalização horizontal, as faixas de circulação e as setas indicativas. (Fernando Dias Monteiro, Porto Alegre)
Violência
Cidadão saiu de agência bancária, na avenida Assis Brasil, nesta terça-feira, às 11h. Dirigiu-se ao seu carro e, quando nele chegou, dois bandidos (nada de suspeito, eufemismo jurídico idiota) colocaram revólver na cabeça dele, pediram as chaves e tudo o que tinha - incluindo, como sempre, o celular, que logo vai parar em uma das nossas cadeias "de segurança máxima"... A insegurança em Porto Alegre é um pavor. (Josimar Pires, Porto Alegre)
Índio Xavante
O termo xavante para o Brasil de Pelotas foi dado por causa de um Bra-Pel, ou seja, Brasil x Pelotas, ambos da Princesa do Sul, no ano de 1946. Era a final do campeonato na avenida Bento Gonçalves. O Pelotas jogava pelo empate. No primeiro tempo, o Pelotas deu uma lavada no Brasil, vencendo por 3 a 1. No final do primeiro tempo, o zagueiro Chico Fuleiro foi expulso, e o Brasil, através de seus dirigentes, ameaçou não voltar ao gramado. Os jogadores foram contra. Juvenal recuou para a zaga. E o impossível aconteceu. O Brasil fez um segundo tempo gigantesco, culminando com gols e mais gols. Final: Brasil 5, Pelotas 3. Quando o árbitro Carlos Sacco deu a partida como encerrada, a torcida do Brasil invadiu o campo, carregando seus jogadores no colo. Aconteceram certos exageros. Um dirigente do Pelotas (Silvério Aleixo) tentou depreciar os torcedores, chamando-os de "selvagens xavantes", em alusão a um filme muito famoso que estava passando nos cinemas na cidade chamado "A invasão dos índios xavantes". A partir daí, a expressão "Xavante" foi incorporada como um símbolo que identifica a torcida do Brasil. (Sérgio Osório, Pelotas/RS)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia