Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de abril de 2017. Atualizado às 08h36.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 05/04/2017. Alterada em 04/04 às 20h00min

Frases e personagens

JC
"Apoiamos o trabalho da prefeitura na questão dos ambulantes irregulares no Centro de Porto Alegre. Trata-se de concorrência desleal com o comércio regular e motivo de outros problemas decorrentes." Alcides Debus, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Porto Alegre.
"O julgamento que pode cassar a chapa que me elegeu em 2014 junto com a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) cabe ao Poder Judiciário. Vamos estar obedientes às decisões do Judiciário." Michel Temer (PMDB), presidente da República.
"Acho que, com calma, vai ter que se fazer esse julgamento. Acho que é importante que no prazo, que é o meio do ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decida sobre a chapa Dilma/Temer, porque a indefinição é o pior dos mundos." Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados.
"Defendo que a Corte Eleitoral julgue separadamente Dilma e Temer. Acredito muito que, se o presidente Michel Temer teve uma prestação de contas separada, ele não pode ser punido pelos erros cometidos pela campanha da presidente Dilma." Também Rodrigo Maia.
"Pretendemos acabar com a obrigatoriedade do imposto sindical." Rogério Marinho (PSDB-RN), deputado federal, relator da reforma trabalhista.
"Defendo o fim do imposto sindical compulsório, da forma como está hoje, um dia de trabalho descontado dos empregados anualmente, mesmo não sendo filiados a sindicato." Ives Gandra Filho, presidente do Tribunal Superior do Trabalho.
"Também proponho acabar com a unicidade sindical, ou seja, a existência de um único sindicato numa determinada base geográfica para cada categoria de trabalhadores. A pluralidade sindical, prevista na Convenção 87 da Organização Internacional do Trabalho, de 1948, vigora em mais de 150 países." Também Ives Gandra Filho.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia