Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de março de 2017. Atualizado às 11h21.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Reino Unido

26/03/2017 - 11h21min. Alterada em 26/03 às 11h26min

Polícia britânica diz que agressor de ataque perto do Parlamento agiu sozinho

Flores são colocadas diariamente na ponte de Westminster, em frente ao Parlamento, em tributo às vítimas do atentado

Flores são colocadas diariamente na ponte de Westminster, em frente ao Parlamento, em tributo às vítimas do atentado


CHRIS J RATCLIFFE /AFP/JC
A polícia britânica segue investigando o ataque ocorrido nos arredores do Parlamento. A crença é de que o agressor agiu sozinho. Uma reconstrução detalhada da polícia descobriu que o ataque durou 82 segundos, antes do terrorista Khalid Masood ser morto a tiros.
A polícia disse ainda no sábado que não há informações que indiquem que novos ataques estão planejados. O assistente do delegado, Neil Basu, disse que talvez seja difícil determinar exatamente as motivações do agressor. "Mas mesmo que ele tenha agido sozinho no planejamento, precisamos estabelecer com clareza absoluta a razão, para trazer tranquilidade aos londrinos", comentou.
O grupo do Estado islâmico afirmou que Masood era um "soldado" propagando o desejo para que partidários da causa ataquem os países ocidentais.
Um homem permanece sob custódia, mas ele não foi acusado. Nove pessoas que foram presas após o ataque foram libertadas sem serem acusadas e uma delas foi libertada sob fiança.
A família do policial morto, Keith Palmer, publicou uma declaração agradecendo àqueles que tentaram salvar sua vida.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia