Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 11 de março de 2017. Atualizado às 19h21.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

11/03/2017 - 19h13min. Alterada em 11/03 às 19h22min

Morre aos 73 anos o músico chileno Ángel Parra, filho de Violeta Parra

Na foto de 2003, Angel se apresenta em um festival em La Courneuve, na França

Na foto de 2003, Angel se apresenta em um festival em La Courneuve, na França


JOEL SAGET/AFP/JC
Folhapress
Filho da cantora Violeta Parra, o também cantor e guitarrista chileno Ángel Parra morreu na manhã deste sábado (11), aos 73 anos. Ele, que morava em Paris, sofria de um câncer, anunciou a embaixada do Chile na França.
"É uma grande perda para o Chile e para a arte internacional", disse à agência AFP a embaixadora chilena, Marcia Covarrubias, que acabara de visitar a família do artista. "Depois de ter ficado preso no campo de concentração de Chacabuco no Chile e morado por um tempo no México, Ángel Parra viveu por 40 anos na França", acrescentou a diplomata.
O músico, preso depois do golpe de Pinochet em 1973 que o obrigou a buscar exílio, era uma grande figura da diáspora chilena. Lutou contra um câncer por três anos sem cessar suas apresentações ou gravações, comunicou a embaixada.
Ángel naceu em 1943 em Valparaiso. Era filho de Violeta Parra (1917-1967), artista chilena e uma das principais folcloristas da América Latina. Segundo a embaixadora, sua mãe (que terá neste ano uma exposição em sua homenagem, no Musée del Homme, em Paris, celebrando seu centenário) foi a conexão do músico com a França.
O músico compartilhava do universo da mãe. Em 1965 criou, com a irmã Isabel, La Peña de los Parra, famosa peña (celebração folclórica chilena). É autor do romance "Mãos na Nuca" (2007), sobre o golpe de Estado de Pinochet. Em 2006, lançou um disco em que interpreta músicas de sua mãe e um livro sobre sua história.
Em 2004, ele e a irmã Isabel receberam o título de figuras fundamentais da música chilena.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia