Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 01 de agosto de 2017. Atualizado às 17h05.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

Notícia da edição impressa de 15/03/2017. Alterada em 15/03 às 08h56min

Magistério estadual entra em greve a partir desta quarta

A partir desta quarta, escolas estaduais devem estar com as portas fechadas por tempo indeterminado

A partir desta quarta, escolas estaduais devem estar com as portas fechadas por tempo indeterminado


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A partir de hoje, as escolas estaduais do Rio Grande do Sul devem estar com as portas fechadas, por tempo indeterminado. A paralisação, definida pelo Cpers/Sindicato na semana passada, é parte de um esforço nacional convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, e dos protestos convocados, em todo o País, contra a proposta de reforma da Previdência do governo federal.
Além da pauta nacional, que inclui o cumprimento da Lei do Piso, o magistério gaúcho posiciona-se contra recentes medidas do governo de José Ivo Sartori, como o parcelamento de salários e atrasos no 13º salário, além de arrocho salarial. O Cpers também exige a nomeação de concursados e a manutenção do Instituto de Previdência do Estado (Ipergs) como uma instituição pública.
Pela manhã, está previsto um ato em frente à escola Costa e Silva, no bairro Medianeira, em Porto Alegre. O professor José Morais foi desligado do corpo docente após alterar o nome da escola no cabeçalho das avaliações, adotando o termo "ditador". Em nota, a Secretaria Estadual de Educação qualificou a greve como "inoportuna", alegando que a paralisação pode prejudicar mais de 900 mil estudantes gaúchos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
JORGE ANTONIO 01/08/2017 15h19min
A SEC ACHA INOPORTUNO, MAS SEUS SALARIOS ESTAO EM DIA,ELES ENCHUGARAM AS ESCOLAS QUE JA NÃO TEM MAIS GENTE NEM NA LIMPEZA!