Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de março de 2017. Atualizado às 08h01.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

Notícia da edição impressa de 15/03/2017. Alterada em 15/03 às 08h02min

Outono não terá mudanças bruscas de temperatura

Temperaturas já caíram no início desta semana em todo o Estado

Temperaturas já caíram no início desta semana em todo o Estado


CLAITON DORNELLES/JC
O outono começa na próxima segunda-feira, precisamente às 7h29min. A estação das folhas secas e de temperaturas mais amenas vai até o dia 21 de junho, dando lugar ao inverno. Em 2016, ambos os períodos foram extremamente frios, principalmente no Rio Grande do Sul. Neste ano, a previsão meteorológica aponta que as temperaturas serão medianas, com frio intenso apenas no final de maio e em junho.
Ontem, o meteorologista Alexandre Nascimento, do instituto Climatempo, concedeu uma entrevista coletiva on-line e apresentou os prognósticos para os próximos três meses. Segundo Nascimento, o Estado não deve enfrentar uma onda de calor forte em abril nem uma onda de frio intensa em maio, como ocorreu no ano passado.
Em abril, ainda deve chover pelo menos uma vez por semana, e a expectativa é de que o mês tenha temperaturas ligeiramente altas, mas o calorão de fevereiro não volta mais. Segundo Nascimento, cinco frentes frias devem atuar sobre a região Sul, mas a chuva será bastante irregular em abril - no Sudeste e no Norte gaúchos, a precipitação será abaixo da normalidade.
Para maio, há expectativa de que já seja possível sentir frio. "No ano passado, a temperatura caiu muito em maio e isso não deve se repetir. Espera-se geada para o final de maio e para o começo de junho, e depois somente no final de junho", detalha o meteorologista.
Várias frentes frias devem passar pela região, mas de forma rápida, dando lugar às massas secas de origem polar. Há previsão de chuva para o início do mês, de moderada intensidade, mas depois as frentes passam secas.
Junho será o mês mais gelado da estação. Devido à atuação da massa polar do fim de maio, o mês já começa frio, com temperaturas próximas dos 10 graus. Por volta do dia 20, uma forte frente fria deve provocar temporais no Norte do Estado. No entanto, a umidade será predominante, enfraquecendo a chance de geadas.

Cristal e Caçapava do Sul estudam decretar situação de emergência

O tornado que atingiu São Francisco de Paula domingo é um fenômeno que não deve se repetir no outono. Essa é a aposta do meteorologista Alexandre Nascimento, do Climatempo, que afirma que houve um contraste de um fevereiro bastante quente com a primeira frente fria que foi capaz de romper o bloqueio, empurrando a massa seca para cima. "Houve uma situação meteorológica extrema que provocou essa confusão no Estado", explicou.
As comunidades atingidas pela chuva do fim de semana continuam sendo monitoradas pela Defesa Civil. Além de São Francisco de Paula, Caçapava do Sul avalia a possibilidade de decretar situação de emergência. Cristal e Canguçu, na região Sul, também afetadas, somam quase 50 residências com danos devido à chuva, ao granizo e às microexplosões (rajadas de vento em velocidade muito alta, que, em contato com o solo, se espalham como uma bomba). Isso danificou bastante as lavouras e, por enquanto, as cidades ainda contabilizam prejuízos. Também avaliando os estragos, Dona Francisca e Faxinal do Soturno, na Região Central, deram início ao processo.
A situação de Amaral Ferrador e Camaquã (Sul) e de Encruzilhada do Sul e Santana da Boa Vista (Fronteira) será vistoriada nos próximos dias. Além disso, a atenção se volta à condição hidrológica nas bacias dos rios Taquari-Antas, dos Sinos, Pardo, Quaraí, Santa Maria e Ibicuí. Em São Francisco de Paula - onde ocorreu uma morte e 1,6 mil pessoas ficaram desalojadas e desabrigadas - e em Santa Maria, as vistorias ainda estão sendo feitas.
Para hoje, a previsão é de pancadas de chuva no Oeste. As temperaturas variam entre 10 e 32 graus. Na Capital, a oscilação é menor, e os termômetros registram de 18 a 30 graus. Ontem, São José dos Ausentes teve a marca mais baixa, de 7,9 graus.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia