Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de março de 2017. Atualizado às 18h20.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

literatura

Alterada em 09/03 às 18h20min

Arno Wehling é eleito para a Academia Brasileira de Letras

O historiador Arno Wehling, presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), foi eleito na tarde desta quinta-feira (9), para a Academia Brasileira de Letras (ABL). Ele ocupará a cadeira 37, vaga desde a morte do poeta Ferreira Gullar, em 4 de dezembro passado. Na eleição desta tarde Wehling recebeu 18 votos, contra 15 de seu concorrente Antonio Cicero. Houve ainda um voto em branco. Votaram 34 acadêmicos - 23 presentes e 11 por carta.
Antes de Ferreira Gullar haviam ocupado a cadeira 37 Silva Ramos (fundador), Alcântara Machado, Getúlio Vargas, Assis Chateaubriand, João Cabral de Melo Neto e Ivan Junqueira.
Com a eleição de hoje as 40 cadeiras da ABL ficam ocupadas. Nesta quarta-feira, 8, houve outra eleição, em que o embaixador e escritor João Almino foi escolhido por unanimidade para a cadeira 22, vaga desde a morte do médico Ivo Pitanguy, em 6 de agosto de 2016. No escrutínio de ontem votaram 33 acadêmicos: 23 presentes e 10 por carta.
Antes de Pitanguy haviam ocupado a cadeira 22 Medeiros e Albuquerque (fundador), Miguel Osório de Almeida e Luís Viana Filho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia