Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de março de 2017. Atualizado às 17h21.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

municípios

08/03/2017 - 17h19min. Alterada em 08/03 às 17h25min

Encontro com o Desenvolvimento Sustentável é lançado em Porto Alegre

Lançamento regional do IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável ocorreu nesta quarta

Lançamento regional do IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável ocorreu nesta quarta


Ricardo Giusti/PMPA/Divulgação/JC/
Foi lançado nesta quarta-feira (8), em Porto Alegre, o IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (EMDS). O evento, promovido pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), está marcado para abril, em Brasília.
Esta é a primeira vez que o evento é lançado na região Sul. Um dos destaques dos lançamentos regionais é a oportunidade de os participantes contribuírem, por meio de sugestão de conteúdo e indicação de palestrantes, com a construção da quarta edição do encontro.
O lançamento teve a participação do prefeito Nelson Marchezan Júnior e do presidente da FNP, Márcio Lacerda. Com o tema “Reinventar o financiamento e a governança das cidades”, neste ano os debates serão focados, principalmente, na crise financeira e nas alternativas para ampliar receitas e investimentos. 
Durante a manhã, Lacerda apresentou aos gestores municipais os projetos da frente e debateu com os participantes os desafios dos municípios brasileiros. “As cidades precisam se reinventar e buscar outras fontes de financiamento para a promoção do desenvolvimento sustentável. E quando falamos de sustentabilidade, estamos falando de infra-estrutura, de indicadores sociais, de emprego e renda, de cultura e, especialmente, da participação cada vez maior das pessoas nos seus destinos”, disse o presidente da FNP.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia