Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de março de 2017. Atualizado às 16h47.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

futebol

Alterada em 28/03 às 16h50min

Messi é suspenso por quatro jogos e desfalca a Argentina contra a Bolívia

Agência O Globo
O craque Lionel Messi está fora da partida entre Argentina e Bolívia, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, nesta terça-feira. Ele foi suspenso pela Fifa por quatro jogos após ter xingado o auxiliar brasileiro Dewson Silva na partida contra o Chile.
Em comunicado divulgado em seu site oficial na manhã desta terça, a Fifa diz que jogador e AFA já foram comunicados da decisão. Caso a suspensão não seja reduzida futuramente, isso significa que Messi só poderia voltar a campo pelas eliminatórias na última rodada, em outubro deste ano, contra o Equador.
Além do gancho de quatro partidas, Messi deverá pagar uma multa de 10 mil francos suíços (cerca de R$ 31 mil). A Fifa decidiu punir o argentino por "insultar diretamente o árbitro assistente" mesmo sem que os xingamentos tenham sido registrados formalmente na súmula da partida pelo trio de arbitragem brasileiro, liderado por Sandro Meira Ricci.
A punição a Messi ocorre em um momento complicado para a Argentina nas eliminatórias. A seleção argentina conseguiu respirar mais aliviada após a vitória por 1 a 0 sobre o Chile na última quinta-feira, com gol de pênalti do próprio Messi: chegou à terceira posição, com 22 pontos. No entanto, um tropeço contra a Bolívia nesta terça, na altitude de La Paz, pode até tirar a Argentina da zona de classificação para a Copa de 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia