Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de março de 2017. Atualizado às 13h40.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

liga dos campeões

08/03/2017 - 20h25min. Alterada em 08/03 às 20h25min

Borussia faz 4 a 0 no Benfica e avança com brilho de Aubameyang e garotos

Dortmund's Gabonese forward Pierre-Emerick Aubameyang celebrate scoring a hattrick, the 4-0 goal during the UEFA Champions League Round of 16, 2nd-leg football match Borussia Dortmund v SL Benfica in Dortmund, western Germany on March 8, 2017 / AFP PHOTO / John MACDOUGALL

Dortmund's Gabonese forward Pierre-Emerick Aubameyang celebrate scoring a hattrick, the 4-0 goal during the UEFA Champions League Round of 16, 2nd-leg football match Borussia Dortmund v SL Benfica in Dortmund, western Germany on March 8, 2017 / AFP PHOTO / John MACDOUGALL


JOHN MACDOUGALL/AFP/JC
Após três anos, o Borussia Dortmund está de volta às quartas de final da Liga dos Campeões. A vaga foi conquistada nesta quarta-feira, quando a equipe alemã contou com o faro de gol de Aubameyang para vencer o Benfica por 4 a 0 em casa. O gabonês fez três gols, enquanto o jovem o norte-americano Pulisic, de apenas 18 anos, anotou o outro gol e ainda deu uma assistência.
Destaque da vitória do Benfica por 1 a 0 em Lisboa, quando parou o ataque alemão, pegou um pênalti de Aubameyang e convenceu o técnico Tite a convocá-lo para a seleção brasileira, o goleiro Ederson teve novamente uma boa atuação. Mas não tinha nada o que fazer para impedir os gols do Borussia, três deles do próprio Aubameyang, que se redimiu.
Antes de a bola rolar, o famoso paredão do estádio do Borussia, onde ficam os torcedores organizados do clube, mostrou reproduções de jornais do dia seguinte a uma goleada por 5 a 0 dos alemães sobre os portugueses em 1963. Naquela temporada, o Dortmund cairia na semifinal, para a Inter de Milão.
Desta vez, a equipe quer ir ainda mais longe. Depois de avançar em primeiro no grupo que tinha o Real Madrid, o segundo passo era passar pelo Benfica. Depois de perder em Lisboa, a vitória em casa era mandatória.
O caminho foi aberto logo aos 4 minutos, quando Dembélé bateu escanteio pela esquerda, Pulisic resvalou e Aubameyang apareceu livre no segundo pau para cabecear. Ederson até chegou na bola, mas só conseguiu tocar nela já dentro do gol.
Com o francês Dembélé, de 19 anos, Pulisic e o cada vez mais matador Aubameyang, de 27, o Dortmund nem sentia falta de Marco Reus, novamente machucado. Chegava com relativa facilidade à área portuguesa, onde Ederson trabalhava bem sempre que exigido.
No ataque, a escolha por Salvio e Mitroglou atrapalhava o Benfica. Chance real de gol só pelo alto, com o brasileiro Luisão. Bürki defendeu em cima da linha, aos 32 minutos.
No segundo tempo, exceto um chute de Cervi que parou na defesa, só deu Borussia.
Ederson chegou a fazer duas grandes defesas cara a cara com Aubameyang, mas não conseguiu evitar o segundo gol aos 13 minutos. O goleiro da seleção brasileira até parou Pulisic no primeiro lance, mas a sobra ficou com o time alemão. Piszczek encontrou uma brecha no meio da zaga e deixou Pulisic na cara de Ederson, para desta vez fazer, com uma cavadinha.
Pouco depois, aos 15, o Borussia fez o terceiro e matou o confronto. Weigl lançou Schmelzer, que deu um tapa na bola, de primeira, sem deixar ela cair, cruzando para Aubameyang, sem goleiro, mandar para dentro.
Jonas só substituiu Salvio aos 18 minutos do segundo tempo. O Benfica precisava de dois gols e não passou nem perto de fazer um sequer. Pelo contrário. O quarto gol quase saiu em cabeceio de Bartra que foi na trave e acabou sendo inevitável após cruzamento rasteiro de Durm para Aubameyang. O gabonês, em posição de impedimento, bateu novamente para o gol vazio. Em seguida, saiu ovacionado para a entrada de Schürrle.
O gabonês vive ótima fase, junto com o Borussia. Fez sete gols nas últimas três partidas. Com 21, é o artilheiro do Campeonato Alemão. Na Liga dos Campeões, tem sete gols, só abaixo do já eliminado Lionel Messi (11) e de Edison Cavani, do PSG, que chegou a oito.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Jonatas Borges Schutz 09/03/2017 12h48min
"Lionel Messi já eliminado", como assim?