Porto Alegre, quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020.
Dia do Esportista.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Solo

08/03/2017 - 14h00min. Alterada em 19/02 às 12h15min

Professor da UFSM cria sala dentro da terra para ensinar cuidados com solo

Professor Telmo Amado diz que o quadro negro no solo melhora transmissão do conhecimento

Professor Telmo Amado diz que o quadro negro no solo melhora transmissão do conhecimento


MARCO QUINTANA/jc
Para poder explicar e chamar a atenção de agricultores para os cuidados com o solo, tema que cada vez mais ganha espaço na relação entre lavoura e produtividade, o professor do Centro de Ciências Rurais (CCR) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Telmo Amado radicalizou. Levou a sala de aula para o parque da Cotrijal, palco da Expodireto. E não é qualquer sala de aula. Se as lições são sobre solo, então Amado criou a sala-solo. Uma trincheira foi escavada no chão do estande e ali mesmo foi montada uma arquibancada para a plateia formada pelos agricultores que visitam a feira em Não-Me-Toque. 
Para poder explicar e chamar a atenção de agricultores para os cuidados com o solo, tema que cada vez mais ganha espaço na relação entre lavoura e produtividade, o professor do Centro de Ciências Rurais (CCR) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Telmo Amado radicalizou. Levou a sala de aula para o parque da Cotrijal, palco da Expodireto. E não é qualquer sala de aula. Se as lições são sobre solo, então Amado criou a sala-solo. Uma trincheira foi escavada no chão do estande e ali mesmo foi montada uma arquibancada para a plateia formada pelos agricultores que visitam a feira em Não-Me-Toque. 
> Confira no vídeo como é a sala de aula dentro do solo:
"O antigo quadro negro da sala de aula agora virou um perfil de solo", define Amado, explicando que este ano a ideia foi transformar a sala de aula na trincheira de solo para facilitar e tornar mais atrativa a transmissão de conhecimento. O professor diz que os agricultores-alunos podem conferir os principais processos que precisam ser observados para ter sucesso na atividade. O visual é bem lúdico e envolve mesmo os participantes. 
"A ideia é permitir a visualização da estrutura do solo e assim discutir o que está acontecendo com a lavoura", destaca Amado. O agricultor de Ijuí Cesar Coppetti, que colhe 80 sacas de soja por hectare, se acomodou no local e disse que cuidar do solo e usar tecnologia são as ações mais importantes hoje no campo. "Para fazer bem isso, tem de buscar informação e estar perto de quem tem ela, como o professor Telmo", aponta Coppetti.