Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 31 de março de 2017. Atualizado às 17h27.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

31/03/2017 - 17h29min. Alterada em 31/03 às 17h33min

Ouro fecha em alta após Dudley apontar para alta de juros mais gradual nos EUA

Os preços do ouro reverteram as perdas desta sexta-feira (31) depois que William Dudley, presidente do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA), disse que faz sentido aumentar as taxas de juros em ritmo gradual este ano.
O ouro para entrega em abril fechou em alta de US$ 2,30 (0,20%), a US$ 1.247,30 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Durante o pregão, o preço chegou a cair e atingir US$ 1.241,50 a onça troy.
A economia dos EUA não está criando muita urgência para o Fed endurecer a política monetária, disse William Dudley. As expectativas de um ritmo mais lento dos aumentos das taxas tendem a impulsionar o ouro, que luta para competir com os investimentos com rendimento maior quando as taxas aumentam.
Os preços do ouro acumularam ganho de cerca de 8% neste trimestre, beneficiando-se de um dólar mais fraco e dúvidas sobre a rapidez com que a Casa Branca pode avançar com os cortes de impostos prometidos e os gastos com infraestrutura.
Os preços devem subir até US$ 1.300 a onça troy nos próximos meses, se parecer que agenda legislativa do presidente americano, Donald Trump, está cada vez mais em dúvida, apontam analistas do Standard Bank em nota. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia