Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 31 de março de 2017. Atualizado às 12h24.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Petróleo

31/03/2017 - 12h11min. Alterada em 31/03 às 12h27min

Petrobras informa adaptação do programa de desinvestimentos

Estatal diz que está tomando as medidas internas para aprovar a nova carteira de desinvestimentos

Estatal diz que está tomando as medidas internas para aprovar a nova carteira de desinvestimentos


LEO SOUZA/AGÊNCIA PETROBRAS/JC
A Petrobras alterou sua carteira de desinvestimentos para cumprir decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) quanto ao processo de concorrência. Segundo a estatal, os projetos desde o início seguirão os procedimentos da sistemática revisada. Seguindo as determinações do TCU, a companhia encerrou projetos cujos contratos ainda não haviam sido assinados e manteve os que já foram assinados.
Assim, prosseguem para conclusão a venda da Liquigás, a venda de 90% da participação acionária na Nova Transportadora do Sudeste e a venda da Petroquímica Suape e Citepe. "A Petrobras está tomando todas as medidas internas necessárias para a aprovação da nova carteira por sua Diretoria Executiva. Em até duas semanas, os projetos que integrarem a nova carteira e que estiverem aptos a iniciar a fase de estruturação, serão prontamente iniciados e, posteriormente, divulgados ao mercado", diz, em nota.
A Petrobras ainda informou que as alterações não interferem no cumprimento da meta de parcerias e desinvestimentos dentro do Plano Estratégico de US$ 21 bilhões para o biênio 2017/2018.
Os projetos de desinvestimentos encerrados que serão avaliados para compor a nova carteira são: cessão dos direitos de um conjunto de campos terrestres; cessão dos diretos de concessões em águas rasas nos Estados de Sergipe e Ceará; venda de fatia na BR Distribuidora; venda de direitos de concessão nos campos de Baúna e Tartaruga Verde; e venda de participação no Campo de Saint Malo no Golfo do México. Sobre os campos de Baúna e Tartaruga Verde, a Petrobras já havia informado na quarta-feira (29) a desistência da venda.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia