Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 31 de março de 2017. Atualizado às 09h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Alterada em 31/03 às 09h33min

Confiança do comércio medida pela FGV sobe 3,1 pontos em março ante fevereiro

Alta do índice foi puxada, sobretudo, pela melhora das expectativa

Alta do índice foi puxada, sobretudo, pela melhora das expectativa


CLAITON DORNELLES/JC
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 3,1 pontos na passagem de fevereiro para março, saindo de 82,5 pontos para 85,6 pontos no período, informou na manhã desta sexta-feira (31) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador alcançou o maior nível desde dezembro de 2014. Na métrica de médias móveis trimestrais, o índice avançou 2,4 pontos.
"Após a quarta alta consecutiva, a confiança do Comércio começa a sair dos níveis atipicamente baixos do biênio 2015-2016 e a entrar numa faixa que pode ser definida como moderadamente baixa. Notícias favoráveis como a recuperação gradual da confiança do consumidor, perspectivas de redução de juros reais e a liberação de recursos do FGTS podem contribuir para a continuidade desta tendência, embora os riscos sejam ainda grandes, tendo em vista o nível ainda elevado de incerteza econômica vigente", avaliou Aloisio Campelo Júnior, superintendente de Estatísticas Públicas do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV).
Em março, a alta do Icom foi puxada, sobretudo, pela melhora das expectativas. O Índice de Expectativas (IE-COM) avançou 4,1 pontos, para 95,6 pontos, enquanto o Índice de Situação Atual (ISA-COM) subiu 1,8 pontos, para 76,1 pontos.
A maior contribuição para a alta do IE-COM foi do quesito que mede o otimismo com as vendas nos três meses seguintes, que subiu 5,7 pontos em relação a fevereiro, para 95,9 pontos. A alta do ISA-COM foi determinada pelo avanço de 6,8 pontos do indicador de satisfação com a situação atual dos negócios, que chegou a 80,5 pontos.
A coleta de dados para a edição de março da sondagem foi realizada entre os dias 2 e 29 do mês e obteve informações de 1.133 empresas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia