Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de março de 2017. Atualizado às 00h39.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Infraestrutura

Notícia da edição impressa de 30/03/2017. Alterada em 29/03 às 20h50min

Pedágios gaúchos poderão ter estrangeiros na disputa

Prazo para administração das rodovias no Estado será de 30 anos

Prazo para administração das rodovias no Estado será de 30 anos


MARCO QUINTANA/JC
O governo do Rio Grande do Sul publicou ontem, no Diário Oficial do Estado (DOE), as regras para o repasse de estradas gaúchas à iniciativa privada. Será considerado vencedor o licitante que ofertar o menor valor da tarifa de pedágio, podendo participar da licitação empresas nacionais e estrangeiras para a administração das rodovias por até 30 anos.
As empresas poderão disputar a licitação individualmente ou em consórcios. O marco regulatório permite que o consórcio seja formado exclusivamente por empresas estrangeiras. Em igualdade de condições, no entanto, a empresa brasileira terá preferência.
Antes de abrir a licitação, o governo deverá criar um Plano de Outorga (PO) informando os trechos a serem concedidos, o volume médio de tráfego diário, as características econômicas da região, os índices de acidentalidade e estudos de viabilidade econômica e ambiental. A cobrança do pedágio só poderá começar após a conclusão das obras iniciais nas rodovias e da entrega de um programa de redução de acidentes. O valor das tarifas será definido somente após a licitação dos trechos.
Em entrevista ao Jornal do Comércio, o secretário estadual de Transportes, Pedro Westphalen, disse que estão sendo estudadas várias opções de rodovias para entrarem no leilão, que serão anunciadas pelo governador José Ivo Sartori posteriormente. No ano passado, Westphalen havia afirmado que a iniciativa prevê a potencialização das estradas, com duplicação e terceiras vias, não se limitando apenas à manutenção.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia