Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de março de 2017. Atualizado às 18h09.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 24/03 às 18h10min

Bolsas fecham sem direção única em Nova Iorque, à espera de votação sobre saúde

As bolsas de Nova Iorque fecharam sem direção única nesta sexta-feira, 4, à espera da votação do projeto do Partido Republicano para a área da saúde na Câmara dos Representantes, A votação, porém, foi novamente adiada.
O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,29%, aos 20.596,72 pontos; o S&P 500 recuou 0,08%, para 2.343,98 pontos; já o Nasdaq avançou 0,19%, para 5.828,74 pontos. Na semana, os três índices registraram queda: 1,52%; 1,44%; e 1,22%, respectivamente.
A votação do projeto de saúde republicano pautou o dia nos mercados acionários americanos, com os investidores cautelosos devido ao projeto ser o primeiro teste de fogo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Congresso. O bilionário apoiou a proposta de reforma da Câmara e fez três comícios no país para, entre outras coisas, dar sustentação aos líderes republicanos. A votação deveria ocorrer na última quinta-feira, mas foi adiada para esta sexta-feira. Pouco antes do fechamento das bolsas, foi anunciado um novo adiamento.
"Você não sabe o que acontecerá com o restante da agenda de Trump até que não se tenha uma definição da votação", disse Justin Wiggs, diretor-gerente de negociação de ações da Stifel Economics. Após o projeto de saúde, o presidente já declarou que irá enviar ao Congresso sua proposta de reforma tributária.
Desde as eleições, os mercados acionários renovaram recordes com a expectativa de uma agenda a favor dos negócios durante o governo Trump. Ações de bancos, que foram algumas das mais beneficiadas, caíram nesta sexta-feira, com uma maior incerteza no cenário político dos EUA. O Goldman Sachs caiu 1,50%; o JPMorgan recuou 0,11%; e o Morgan Stanley baixou 0,31%.
Já ações de companhias ligadas ao setor de saúde também foram prejudicadas pela decisão. A Pfizer perdeu 0,85%; a UnitedHealth teve baixa de 0,18%; e a Novartis caiu 0,08%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia