Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de março de 2017. Atualizado às 16h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 24/03 às 16h19min

Ouro fecha em leve alta, após sessão volátil de olho na Câmara dos EUA

/AE/KN/Ouro fecha em leve alta, após sessão volátil de olho na Câmara dos EUA
O ouro oscilou durante a sessão, mas acabou por fechar em leve alta. Investidores monitoraram as negociações em Washington para a votação da reforma da saúde na Câmara dos Representantes dos EUA nesta sexta-feira.
O contrato do ouro para entrega em abril fechou em alta de US$ 1,30 (0,10%), a US$ 1.248,50 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
A votação na Câmara do projeto de saúde defendido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é vista por investidores como um importante teste da capacidade do republicano aprovar sua agenda. O voto estava previsto para depois do fechamento do mercado do ouro na Comex, mas havia mais preocupações de que a medida pudesse não ser aprovada.
O ouro chegou a recuar a US$ 1.240,70 a onça-troy, na mínima desta sexta, antes de se recuperar.
"Se isso foi aprovado, o mercado verá como um obstáculo a menos para finalmente avançar para a reforma tributária e outras medidas de estímulo fiscal", afirmou Paul Wong, gerente sênior de portfólio da Sprott Asset Management. Caso a lei de reforma da saúde não seja aprovada, o economista acredita que o ouro deve subir, com a maior busca por segurança.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia