Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de março de 2017. Atualizado às 18h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Crédito

24/03/2017 - 14h56min. Alterada em 24/03 às 18h57min

Cartão de crédito: Bancos definem condições com limites do rotativo

Bancos divulgaram as taxas e parcelamentos para saldo dos cartões com restrição ao rotativo

Bancos divulgaram as taxas e parcelamentos para saldo dos cartões com restrição ao rotativo


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Patrícia Comunello
Os bancos já estão divulgando as condições de juros e parcelamentos de saldo devedor com a limitação de uso do crédito rotativo dos cartões. Os clientes terão de ter as opções a partir de 3 de abril, cumprindo a resolução 4.549 do Conselho Monetário Nacional (CMN) que limitou o uso do rotativo por até 30 dias. Com isso, o saldo remanescente da fatura só poderá entrar no financiamento do rotativo, com taxas mais altas, até o vencimento da fatura seguinte.
O efeito da resolução deve ser sentido nas faturas dos detentores de cartões com vencimento a partir dos primeiros dias de maio. A restrição de uso do crédito do rotativo foi colocada para pressionar bancos a migarem os clientes a financiamentos com juros mais em conta. 
Os maiores bancos de varejo já definiram as taxas e as modalidades para financiar o saldo. Itaú-Unibanco, Bradesco, Santander (dos privados), Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal (públicos) já divulgam as condições de taxas e parcelas. O Banrisul ainda não definiu os novos juros do parcelamento. BB, Itaú e Bradesco dizem que também cortaram as taxas. No caso do BB, as taxas do rotativo e do parcelado são quase as mesmas. O Bradesco diz que acabou com o rotativo e adota um parcelamento automático.  

Confira as condições de cada banco:

Banco do Brasil:
  • Parcelado: taxas variam de 1,91% a 9,38% ao mês. O cliente escolhe o número de parcelas ou automaticamente o saldo será parcelado em 24 vezes.
  • Rotativo: o banco informa que reduziu em janeiro os juros do rotativo, com taxas de 1,92% a 9,79% ao mês, muito próximas as do parcelado. 
Banrisul:
  • Parcelado: até 24 meses. Os juros ainda estão sendo avaliados. O banco garante que terá taxas competitivas.
Bradesco:
  • Parcelamento: o banco vai oferecer programação de 12 parcelas automáticas. Aplicativo no site da instituição simula opções com valores e taxas e como vai funcionar os parcelamentos. 
  • Rotativo: o banco acabou com a modalidade, além de dizer que reduziu em 33% as taxas, que vão de 3,6% a 9,8% ao mês e são aplicadas ao parcelado. 
Caixa:
  • Parcelamento: 4, 8, 12, 16, 20 ou 24 meses. Taxas: 3,3% a 9,9% ao mês.
  • Parcelamento automático: acionado para valores abaixo do pagamento mínimo e alternativa as seis opções de parcelamento. 
Itaú-Unibanco:
  • Parcelamento: até 24 parcelas. Taxas entre 0,99% e 8,9% ao mês.
  • Juros do rotativo: o banco diz que reduziu quatro pontos suas taxas mensais, que podem cair até 7 pontos dependendo do histórico de pagamentos do cliente.  
Santander: 
  • Parcelamento: 4 a 18 vezes, com juros de 2,99% a 9,99% ao mês. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia