Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de março de 2017. Atualizado às 07h07.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 24/03/2017. Alterada em 23/03 às 21h25min

Opinião econômica: Ué, por que não crescemos?

Steinbruch tem fama de desistir de negócios na última hora

Steinbruch tem fama de desistir de negócios na última hora


Folhapress/Arquivo/JC
O brasileiro comum não consegue entender por que a crise econômica é tão grande. Estamos longe de uma crise externa, aquela que conhecemos nos anos 1980 e 1990, quando o País não tinha dólares para pagar sua dívida e foi obrigado a recorrer, de pires na mão, ao FMI (Fundo Mentário Internacional). Hoje temos US$ 370 bilhões em reservas, suficientes para pagar à vista toda a dívida externa se isso for necessário.
As cotações das commodities agrícolas e industriais exportadas pelo Brasil, como soja, milho e minérios, estão em alta, e a balança comercial apresenta um superavit anual próximo a US$ 50 bilhões.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia