Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de março de 2017. Atualizado às 18h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 23/03 às 18h12min

Bovespa alterna sinais e termina estável, aos 63.530,78 pontos

A indefinição deu o tom dos negócios e Bovespa alternou sinais ao longo de todo o pregão, com as atenções dos investidores divididas entre incertezas dos cenários interno e externo. Pela manhã desta quinta-feira (23), o desconforto com questões relacionadas ao ajuste fiscal contribuiu para levar o Índice Bovespa a cair mais de 1%. À tarde, uma pequena melhora no mercado externo favoreceu uma alta de até 0,66%. Ao final dos negócios, o índice acabou fechando estável (+0,01%), aos 63 530,78 pontos.
O adiamento promovido pela equipe econômica do anúncio de cortes no Orçamento e do aumento de impostos gerou desconforto, principalmente pela manhã. Segundo operadores, cresceram as especulações em torno de como o governo fará para compensar o rombo de R$ 58,2 bilhões no Orçamento. Além disso, gerou insegurança o fato de o governo ter conseguido uma vitória apertada ontem à noite na votação do projeto de lei que permite a terceirização irrestrita em empresas privadas e no setor público. O placar enxuto elevou temores de que o governo tenha dificuldades em aprovar a proposta de reforma da Previdência e, com isso, tenha de fazer mais concessões para aprovar a PEC.
No cenário norte-americano, a principal expectativa do dia estava relacionada à votação na Câmara dos Representantes da proposta do Partido Republicano para a área da saúde, que prevê a revogação do Obamacare. Uma manobra do partido do presidente Donald Trump levou ao cancelamento da votação, que é vista como o primeiro grande teste do poder de fogo de Trump no Congresso dos Estados Unidos. O adiamento teve leve efeito negativo nas bolsas norte-americanas, que acabaram por neutralizar a leve alta com que a Bovespa operava antes da notícia.
A alta de 1,7% dos preços do minério de ferro não foi suficiente para sustentar as ações da Vale, que não conseguiram recuperar o tombo de 8% da última terça-feira. Vale ON e PN terminaram o dia em quedas de 0,54% (ON) e 1,00% (PNA), refletindo a cautela do investidor com o cenário doméstico menos favorável. As ações da Petrobras oscilaram ao sabor de influências positivas e negativas e, com isso, alternaram sinais durante todo o dia. Fecharam com perdas de 0,07% (ON) e 0,66% (PN).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia