Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de março de 2017. Atualizado às 10h13.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 22/03 às 10h16min

Dólar sobe com recuo do governo na Previdência e exterior no radar

O dólar opera em alta desde a abertura da sessão, reagindo à decisão do presidente da República, Michel Temer, de retirar servidores estaduais e municipais da reforma da Previdência. A queda de commodities e da maioria de moedas emergentes no exterior em razão das incertezas políticas nos Estados Unidos também é precificada, segundo operadores do mercado.
Nesse ambiente, os investidores minimizam a desaceleração do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) de março para 0,15%, ante 0,54% em fevereiro, que ficou dentro do esperado.
No período da manhã, o dólar à vista renovou a máxima intraday, aos R$ 3,1093 (+0,75%) no mercado à vista, enquanto o dólar futuro para abril subia 0,50%, aos R$ 3,1135, ante máxima pouco antes, aos R$ 3,1190 (+0,66%).
A medida de Temer representa a primeira derrota da equipe econômica, que defendia uma reforma previdenciária ampla, e aumenta a chance de elevação de impostos, visando tentar cobrir a meta fiscal de déficit de R$ 139 bilhões. Essa possibilidade poderá ser confirmada, ou não, na tarde desta quarta pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante a apresentação do tamanho do corte no orçamento de 2017.
"A impressão que fica é de que Temer preferiu poupar os políticos de desgate maior nas eleições de 2018 em detrimento de uma reforma robusta, que reduziria o risco fiscal do País", disse um profissional de uma corretora.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia