Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de março de 2017. Atualizado às 09h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Alterada em 21/03 às 09h41min

Preço do alface sobe até 104,87% e cenoura 59,19% em fevereiro, diz Conab

O quilo do alface chegou a R$ 2,86, e da cenoura R$ 2,11

O quilo do alface chegou a R$ 2,86, e da cenoura R$ 2,11


GABRIEL JABUR/FOTOS PUBLICAS/AG.BRASÍLIA/DIVULGAÇÃO/JC
Chuvas intensas e excesso de calor nas principais regiões produtoras comprometeram a produção de alface e cenoura, aumentando os preços nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país em fevereiro. A maior alta foi registrada na Ceagesp, onde o preço da alface subiu 104,87% e o da cenoura, 59,19%, com o quilo saindo a R$ 2,86 e R$ 2,11, respectivamente.
Os dados estão no 3º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Ceasas em 2017, divulgado nesta terça-feira (21) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O estudo analisa os preços de comercialização no atacado em fevereiro deste ano.
O preço do tomate também registrou aumentos de 2,81% até 49,34%, este último identificado em Recife/PE, onde o preço do quilo chegou a R$ 1,51. Caso se mantenha a tendência de redução de área plantada, o tomate poderá pressionar os índices inflacionários nas próximas safras.
Entretanto, os preços da cebola continuaram a cair. Em Brasília/DF, o quilo da hortaliça foi vendido no atacado a R$ 1,27, queda de 15,27%. A hortaliça produzida na Região Sul está abastecendo o mercado nacional e segurando os preços em baixos patamares.
Já a batata não apresentou movimento uniforme nos mercados analisados. Para se ter uma ideia da variação, o preço caiu 20,83% em Rio Branco/AC (R$1,90/kg) e subiu 19,46% em Curitiba/PR (R$ 0,94/kg).

Laranja tem aumento de até 60,89%, enquanto banana, maçã e mamão registram queda

No mês de fevereiro, a laranja teve alta generalizada apesar da safrinha de São Paulo. Os maiores aumentos foram de 60,89% no Acre, onde a fruta foi vendida a R$ 2,01/kg, e de 36,87% em São Paulo/SP (R$ 2,49/kg).
Entretanto, banana, maçã e banana apresentaram queda de preços, devido ao aumento de produtos. A maior queda da banana foi de 31,53% em Curitiba/PR, com preço de R$ 1,57/kg. No caso da maçã, destaque para recuo de 26,82% na cotação em Vitória/ES, onde foi vendida por R$ 3,57/kg. O mamão também caiu na maioria das Ceasas analisadas, de 2,39% (em Belo Horizonte/MG) a 14,97% (em Rio Branco).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia