Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de março de 2017. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

energia

Notícia da edição impressa de 21/03/2017. Alterada em 20/03 às 20h08min

Reajuste do gás de cozinha deve ter impacto de 0,11 ponto percentual no IPCA

O reajuste médio de 9,8% no preço do GLP de botijão deve ter um impacto de 0,11 ponto percentual (p.p.) no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), conforme cálculos do economista Leonardo França Costa, da Rosenberg Associados. O efeito deve ser sentido no IPCA fechado deste mês e uma parte maior será percebida na inflação de abril, estima.
No IPCA, o gás de cozinha tem participação de 1,17% e, no dado de fevereiro, a variação apurada ficou negativa em 0,84%. No ano, o item tem queda de 0,39% e em 12 meses, alta de 2,39%, que está aquém da taxa positiva de 4,76% do IPCA em 12 meses terminados em fevereiro.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia