Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de março de 2017. Atualizado às 08h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

Notícia da edição impressa de 16/03/2017. Alterada em 16/03 às 08h05min

Governo tem projeção positiva para o leilão dos aeroportos

Investimento mínimo no Salgado Filho deve ser de R$ 1,902 bilhão

Investimento mínimo no Salgado Filho deve ser de R$ 1,902 bilhão


FREDY VIEIRA/JC
O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, disse ontem que, apesar de apenas três grupos disputarem os aeroportos que serão leiloados (Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis) nesta quinta-feira, haverá concorrência. Segundo fontes do mercado, estão no páreo Fraport, Vinci Airports e Zurich Airport. Os três vão concorrer entre eles, explicou o ministro. Ao todo, o governo recebeu oito propostas, com interessados nos quatro terminais. Havia receio de que o de Florianópolis desse deserto, mas isso está descartado, segundo Moreira. O leilão começa às 10h30min na BM&FBovespa, em São Paulo.
"Nós vamos ter bons resultados. Nós temos propostas de consórcios com grande conhecimento técnico, são players internacionalmente reconhecidos e nenhum deles é construtora, o que é positivo, pois teremos contrato de concessão e não de construção", disse o ministro. Ele confirmou que o governo não espera ágios elevados, como aconteceu nas rodadas anteriores. A explicação é que desta vez, a Infraero ficará fora da disputa, ao contrário das anteriores quando a estatal foi obrigada a entrar com 50% de participação nos consórcios.
O governo federal espera arrecadar pelo menos R$ 3 bilhões com as outorgas nessa rodada de licitação de aeroportos. Os vencedores investirão R$ 6,6 bilhões.
Fortaleza é o aeroporto que desperta mais interesse, porque poderá ser convertido em "hub" internacional, um centro de conexão de voos que chegam da Europa e dos EUA para outros destinos na América Latina. É o aeroporto pelo qual o governo pede mais: R$ 1,44 bilhão de lance mínimo. O investimento será de R$ 1,4 bilhão em 30 anos.
Em relação a Porto Alegre e Salvador, são apontadas dificuldades de engenharia e riscos ambientais. O valor de outorga para o aeroporto gaúcho sugerido pela União parte de R$ 123 milhões. Ainda será exigido do vencedor da concessão do complexo de Porto Alegre o investimento mínimo de R$ 1,902 bilhão em melhorias como: ampliações da pista de decolagem e aterrissagem, do terminal de passageiros e do pátio de aeronaves.
Entre os especialistas que acompanharam todo o processo de licitação, a presença de apenas três grupos representa "o primeiro vexame" do governo Temer na área de infraestrutura. "Três é muito pouco. O ágio deve ser mínimo, se houver", afirmou um advogado que trabalhou com operadores. O leilão vai reforçar o caixa do Tesouro, já que uma parte da outorga terá de ser paga à vista (25% do preço mínimo mais ágio).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia