Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de março de 2017. Atualizado às 10h17.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Dólar contraria exterior e sobe ante real com política nacional e Federal Reserve

O dólar fraco no exterior na manhã desta quarta-feira (15), e a aprovação da repatriação de recursos pelo Senado na terça-feira (14), à noite ampararam a queda do dólar na abertura da sessão. Logo depois, no entanto, a moeda norte-americana e os juros no mercado futuro passaram a subir em meio às incertezas sobre os desdobramentos políticos e em relação à reforma da Previdência da Lista de Janot enviada na terça para o STF, disse o diretor da corretora Mirae, Pablo Spyer.

Segundo ele, os mercados estão atentos ainda às manifestações contra a reforma da Previdência hoje no País e à espera do comunicado da reunião do Fed (o banco central norte-americana) e da entrevista posterior da presidente da instituição, Janet Yellen , uma vez que uma alta de juros em 0,25 ponto porcentual é dada como certa por quase 100% dos analistas no CME Group, em Chicago.

Spyer, da Mirae, afirmou que há rumores de que o Banco Central poderá agir no câmbio, em caso de eventuais flutuações do dólar sem volume de negócios, que demonstraria estresse dos investidores.

Às 9h39min, o dólar à vista estava em alta de 0,05%, aos R$ 3,1749. O dólar futuro para abril avançava 0,16%, aos R$ 3,190.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia