Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de março de 2017. Atualizado às 16h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 13/03 às 16h31min

Bolsas da Europa fecham na maioria em alta, mas com cautela

As bolsas europeias fecharam na maioria em território positivo nesta segunda-feira, mas com a incerteza política no radar dos investidores, no início de uma semana com uma eleição importante na Holanda. Além disso, o avanço do cobre ajudou o setor de mineração.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,38% (1,41 ponto), em 374,64 pontos.
Na quarta-feira, a Holanda terá uma importante eleição, na qual deve ser testada a força da corrente cética sobre a União Europeia entre países da região. Além disso, há expectativa ainda maior pela eleição presidencial na França, que terá primeiro turno em abril, com Marine Le Pen, candidata de extrema-direita que deseja tirar o país do euro, em primeiro nas pesquisas para o primeiro turno - embora ela perca nas simulações de segundo turno.
Hoje, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou relatório, no qual afirma que o Produto Interno Bruto (PIB) do G-20 desacelerou no quarto trimestre para 0,7%, de 0,8% no trimestre anterior.
Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,33%, em 7.367,08 pontos. Entre as mineradoras, Anglo American e Antofagasta subiram 4,03% e 4,88%, respectivamente, e a BHP Billiton avançou 2,49%. Já a petroleira BP teve queda de 1,53%. No setor bancário, Lloyds caiu 0,32% e Barclays teve baixa de 0,71%.
Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,22%, para 11.990,03 pontos. Entre os bancos, Deutsche Bank teve alta de 0,55%, mas Commerzbank recuou 0,34%. Daimler teve alta de 1,17%.
Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em alta de 0,13%, para 4.999,60 pontos. Entre as ações em foco, Europlasma subiu 5,56% e AXA avançou 0,04%, mas Crédit Agricole teve baixa de 1,03% e BNP Paribas recuou 1,10%.
O índice FTSE MIB, da bolsa de Milão, fechou com ganho de 0,25%, em 19.706,95 pontos. Entre os bancos italianos, Intesa Sanpaolo e Banco BPM subiram 0,99% e 0,31%, mas UniCredit caiu 0,49%. O papel da ENI subiu 0,14%, no setor de energia, e a montadora Fiat avançou 2,26%.
Em Madri, o IBEX-35 recuou 0,10%, para 9.995,90 pontos. Entre os papéis mais negociados, Banco Popular Español caiu 1,27% e Santander recuou 0,53%, enquanto Banco de Sabadell perdeu 0,68%. O papel da Iberdrola ficou estável, no setor de energia, mas o da Repsol recuou 0,14%. ArcelorMittal, por outro lado, subiu 4,37%, em dia positivo para o cobre.
Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 caiu 0,15%, para 4.619,16 pontos. Banco Comercial Português subiu 0,25% e EDP Renováveis teve alta de 0,07%, enquanto Jerônimo Martins caiu 1,08%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia