Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de março de 2017. Atualizado às 18h39.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Alterada em 12/03 às 18h41min

Centenas de metalúrgicos fazem vigília no polo naval de Rio Grande neste domingo

Em dezembro de 2016, a Ecovix demitiu 3,2 mil metalúrgicos

Em dezembro de 2016, a Ecovix demitiu 3,2 mil metalúrgicos


ANTONIO PAZ/JC
A partir das 22h deste domingo (12), centenas de metalúrgicos irão se reunir em frente ao Estaleiro Rio Grande, no município de Rio Grande, e realizar uma vigília até às 12h de segunda-feira. A ação promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Rio Grande e São José com apoio da Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos do Rio Grande do Sul (FTMRS/CUT), tem o objetivo de reivindicar os empregos perdidos no polo naval. Em dezembro de 2016, a Engevix Construções Oceânicas (Ecovix) demitiu 3,2 mil metalúrgicos.
Após a vigília, o grupo irá caminhar até o Centro Integrado de Desenvolvimento Costeiro (CIDEC-Sul), no Campus Carreiros da Faculdade Federal de Rio Grande, para Audiência Pública sobre a situação e perspectivas para o polo naval, promovida pela Assembleia Legislativa do RS.
A finalização do casco P-71 é um desejo dos metalúrgicos. Grupo afirma que projeto contou com R$ 72 milhões de benefícios fiscais, e interromper a construção é um desperdício de dinheiro público, considerando que já foi concluída 50% da estrutura. A continuação do projeto resultaria na contratação imediata de 2,8 mil trabalhadores.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia