Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de março de 2017. Atualizado às 16h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Alterada em 12/03 às 16h46min

Honda cortou 4 mil vagas desde 2012

Líder do mercado, com 80% de participação, a Honda vendeu 724,6 mil motos no ano passado, 27% a menos que em 2015. Também lidera o segmento premium, a partir de 500 cilindradas, com 9 mil unidades, ante 17 mil em 2015. A GL 1800 Goldwing, importada do Japão, é a mais cara da marca, R$ 119,9 mil.
Entre os modelos nacionais, a aposta é a Africa Twin, de R$ 64 mil a R$ 74 mil. A Honda tem motos a partir de R$ 5 mil, mas seu forte são as CG 125 e 160, que venderam 224 mil unidades no ano passado, com preços a partir de R$ 7 mil. "Estamos cautelosos com as previsões para este ano, até porque os últimos meses não foram positivos", diz Alexandre Cury, diretor comercial da Moto Honda.
Ele lembra que, desde 2012, o setor está em baixa, em razão da falta de crédito e da crise. A fábrica de Manaus tinha 10 mil funcionários há cinco anos. Hoje, opera com 6 mil e alta ociosidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia