Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de março de 2017. Atualizado às 10h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Empresas

Alterada em 10/03 às 10h05min

Fundos de investimento ficam com 46,6% da oferta da Hermes Pardini

A rede de medicina diagnóstica Hermes Pardini encerrou a oferta pública inicial de distribuição primária e secundária de ações (IPO na sigla em inglês) de 46.193.096 ações ordinárias, da qual 46,6% ficaram nas mãos de 210 fundos de investimento, com 21.512.137 ações.
Na sequência aparecem 88 investidores estrangeiros, com 41,3%, ou seja, 19.084.676 papéis, incluindo 1,705 milhão subscritas pelo Morgan Stanley e 315,5 mil pelo Bank of America Merrill Lynch, em operações de proteção de investimento (hedge). Além destes bancos, o coordenador líder da oferta foi o Itaú BBA, ao lado de Bradesco BBI e JPMorgan.
A oferta ainda teve a participação de pessoas físicas, com 4.409.884 ações (9,5% do total), entidades de previdência privada (589.200 ações), demais pessoas jurídicas (257.265), clubes de investimento (233.878), demais instituições financeiras (83.088) e participantes da oferta (22.968).
Com preço por ação de R$ 19,00, a oferta atingiu R$ 877,668 milhões. A estreia na Bolsa dos papéis PARD3 ocorreu no dia 14 de fevereiro e no total a oferta compreendeu 46.193.096 ações ordinárias, sendo 9.856.429 na distribuição primária e 36.336.667 na secundária. Em ações suplementares, foram exercidos 6.021.667 papéis, sendo 1.285.000 emitidas e 4.736.667 vendidas pelo acionista vendedor, que corresponderam a 15% do total inicialmente ofertado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia