Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de março de 2017. Atualizado às 22h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

TURISMO

Notícia da edição impressa de 06/03/2017. Alterada em 05/03 às 19h12min

Páscoa vai impulsionar hotelaria da Serra

Decoração temática e facilidade no acesso transformam a região no principal destino gaúcho na data

Decoração temática e facilidade no acesso transformam a região no principal destino gaúcho na data


VANESSA BRAGA/DIVULGAÇÃO/JC
Carolina Hickmann
Os primeiros meses do ano costumam não ser os mais rentáveis para a hotelaria da serra gaúcha já que a procura pelo Litoral prevalece. O feriado de Páscoa sinaliza a mudança deste cenário. A Associação Brasileira das Agências de Viagem do Rio Grande do Sul (Abav-RS) aponta que Gramado e Canela costumam ser os principais destinos do Estado, pela facilidade no acesso e pelo clima de Páscoa que as cidades oferecem. Os dois municípios já estão com taxa de ocupação elevada em relação aos demais fins de semana.
O site de reservas de hotéis Booking registrava na sexta-feira que apenas 34% dos quartos disponibilizados na plataforma em Gramado estavam disponíveis para as Páscoa, entre 14 e 16 de abril, mesmo com o aviso de que o valor cobrado pelas propriedades nestas datas está mais caro em relação a outros fins de semana.
A expectativa da taxa de ocupação do diretor do Sindicato da Hotelaria, Restaurantes e Similares da Região das Hortênsias (Sindtur) e proprietário da pousada Recanto da Lua em Gramado, Gilnei Benetti, é de que a taxa de ocupação seja de até 80%. Os hotéis costumam ofertar apenas uma parte de seus quartos aos sites de reserva, como o Booking.
A pousada Ares da Serra, apontada pela plataforma como uma das principais opções em Gramado, na quinta-feira passada já não tinha mais disponibilidade de quartos. O site apontava que muitas reservas eram feitas para a região nas datas da Páscoa, sendo que 21 pousadas com características semelhantes a pesquisada também estavam esgotadas.
Para Canela, o Booking mostrava uma situação semelhante, com taxa de ocupação de 35%. O site sinaliza grande procura para as 427 propriedades cadastradas. Diversas pousadas também apresentavam lotação máxima. Campeão de reservas, o Hotel Continental ainda contava na sexta-feira com quartos disponíveis a partir de R$ 1.111,50, com café da manhã incluso e possibilidade de pagamento na acomodação.
O Booking mostra que o Estado tem 2,2 mil propriedades cadastradas. Destas, 990 estão em Gramado, a capital da serra gaúcha. Gramado e Canela ofertam 64% das propriedades no Estado através da plataforma. Benetti explica que o setor hoteleiro dos municípios sofre uma superoferta que, aliada ao aluguel de temporada, prejudica os pequenos hotéis e pousadas familiares, que representam cerca de 95% do perfil da região.
Com este cenário, a expectativa para a Páscoa é que o feriado auxilie no pagamento dos atrasos gerados pela baixa dos primeiros meses do ano. "A superoferta não se dá necessariamente por empresários do setor, mas pelo investimento em prédios para aluguel na cidade que estão nos prejudicando", argumenta Benetti. "A Páscoa vai ajudar na recuperação dos primeiros meses do ano, que, para nós, são deficitários", explica. Mesmo assim, ele lembra que o feriado garante, grosso modo, apenas duas diárias aos hoteleiros.
Benetti lembra que, no ano passado, houve uma queda de 15% nas reservas em relação a 2015, enquanto neste ano a perspectiva é de que a taxa de ocupação fique 5% menor do que em 2016. Estes números, para o empresário, são reflexo da crise financeira e das dificuldades apontadas anteriormente.

Crise diminui oferta de pacotes turísticos nas agências

Era costume que as agências de viagem fechassem pacotes econômicos para os feriados mais tradicionais, como a Páscoa. A popularização de sites de pesquisa on-line de preços desaqueceu a busca por agências no momento da reserva, mas, mesmo assim, ainda existem aqueles que preferem a garantia de uma empresa zelando pela sua viagem.
"Antigamente havia mais procura por pacotes de viagem para Páscoa, hoje em dia não temos mais tanto", explica o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio Grande do Sul (Abav-RS) e diretor da Vera Machado Viagens e Turismo, João Augusto Machado. O principal motivo para a falta de formulação de pacotes para a data, apontado pelo executivo, é a própria crise financeira.
Mesmo assim, a expectativa do setor para todos os feriados deste ano é de vendas superiores em 15% em relação a 2016. Até o momento Machado relata baixa procura para pacotes para o feriado. "Nós brasileiros esperamos passar o Carnaval para começar a pensar na Páscoa", enfatiza Machado, que acredita que a partir de hoje a procura será maior. Ele comenta que o destino campeão do feriado continua sendo a serra gaúcha, especialmente cidades como Canela e Gramado, dada a facilidade de deslocamento de todas as regiões do Estado, além de trazer o clima de Páscoa.
Outra questão que promete influenciar a escolha do destino das viagens neste ano é a proximidade da Páscoa com o feriado de Tiradentes, no dia 21 de abril. Cinco dias úteis irão separar os dois feriadões. "Quem pode não trabalhar esses dias deve optar por uma viagem mais longa", alega Machado, lembrando que nestes casos destinos internacionais e viagens às praias do Nordeste costumam prevalecer.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia