Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 02 de março de 2017. Atualizado às 16h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 02/03 às 16h31min

Número de linhas de celulares ativas no País registra nova queda em janeiro

Agência Brasil
O número de linhas de celulares ativas no país caiu 5,38% em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. O total de linhas móveis registradas no país em janeiro deste ano foi 243,42 milhões. Em comparação com dezembro de 2016, a queda no número de linhas foi 0,27%.
De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a queda do número de celulares é consequência da redução da tarifa de interconexão, que é o valor cobrado entre empresas fixas e móveis para a realização das ligações, e do valor de remuneração de uso de rede, praticado entre as operadoras de celulares. "Com preços menores das ligações de uma empresa para a outra, os consumidores cancelaram os chips de diferentes prestadores. A desaceleração econômica também contribuiu para encolhimento da base de acessos móveis", explica a Anatel.
Segundo especialistas, além da redução no valor das ligações, a queda no número de celulares no país pode ser explicada pela mudança na forma de comunicação dos brasileiros, que estão deixando de usar o telefone para falar e usando mais aplicativos de troca de mensagens.
A queda maior no número de linhas foi registrada na modalidade pré-paga. Nos últimos 12 meses, os acessos pré-pagos sofreram queda de 10,88%, redução de 20,00 milhões de linhas móveis. Já os pós-pagos tiveram um aumento de 6,17 milhões de linhas (8,41%).
No ano passado, foi registrada uma queda de 13,7 milhões linhas de telefonia móvel, o que representa um decréscimo de 5,33% no número de linhas ativas em relação a 2015.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia