Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de março de 2017. Atualizado às 18h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 01/03 às 19h00min

Bolsas de Nova Iorque renovam máximas históricas de fechamento após discurso de Trump

As bolsas de Nova Iorque fecharam em alta nesta quarta-feira (1), e renovaram suas máximas históricas de fechamento, impulsionadas por fortes altas de companhias ligadas ao setor financeiro e ao de energia. Os mercados acionários americanos reverteram os ganhos da sessão anterior, após o discurso do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Congresso, com novas promessas do republicano quanto a investimentos de infraestrutura.
O índice Dow Jones subiu 1,46%, para 21.115,55 pontos; o S&P 500 avançou 1,37%, para 2.395,96 pontos; e o índice Nasdaq ganhou 1,35%, aos 5,904,03 pontos. Os três renovaram recordes de fechamento.
Ontem à noite, Trump fez seu primeiro discurso no Congresso americano e propôs a unidade entre democratas e republicanos, além de novamente afirmar que irá investir em infraestrutura. O presidente afirmou que irá mandar ao Congresso uma agenda ampla de obras de infraestrutura, que devem atingir US$ 1 trilhão e irão criar novos empregos no país.
Desde novembro, quando o republicano venceu as eleições presidenciais americanas, ações ligadas ao setor financeiro passaram a avançar, devido às promessas de Trump para menores regulações para bancos. Nesta quarta, papéis de instituições financeiras voltaram a se valorizar: o Goldman Sachs subiu 1,87%; o Bank of America avançou 3,66%; o Citigroup teve alta de 2,88%.
"O mercado acordou esta manhã acreditando na capacidade de Trump de promulgar uma agenda a favor dos negócios", disse Tom Wright, diretor de ações da JMP Securities. "A tendência foi de alta devido ao otimismo, mas tem sido temperada pela preocupação sobre a aprovação dessa agenda no Congresso."
Ações de companhias ligadas ao setor de energia também avançaram nesta quarta-feira, mesmo com a baixa nos preços do petróleo. A Chevron ganhou 1,24%; a ExxonMobil se valorizou 2,09% e a ConocoPhillips teve alta de 3,11%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia