Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de março de 2017. Atualizado às 22h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

Notícia da edição impressa de 02/03/2017. Alterada em 01/03 às 20h57min

Previsão do IPCA cai para 4,36% neste ano

Os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado ontem, mostra que a mediana para o IPCA - o indicador oficial de inflação - em 2017 foi de 4,43% para 4,36%. Há um mês, estava em 4,70%. Já a projeção para o IPCA de 2018 permaneceu em 4,50%, mesmo patamar de quatro semanas atrás.
Na prática, as projeções de mercado indicam que a expectativa é que a inflação se aproxime do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos (inflação de 3% a 6,0%). No comunicado que se seguiu à decisão de política monetária da semana passada, o Banco Central (BC) atualizou apenas as projeções de inflação para o cenário de mercado - que utilizam câmbio e Selic variáveis. A projeção para 2017 foi de 4,4% para 4,2%, e a de 2018 permaneceu em torno de 4,5%. Não houve atualização do cenário de referência, que utiliza Selic e câmbio fixos.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia