Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 30 de março de 2017. Atualizado às 09h46.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 30/03/2017. Alterada em 30/03 às 00h37min

A difícil terceirização

A aprovação da terceirização irrestrita na Câmara dos Deputados virou um pesadelo para o presidente Michel Temer (PMDB). Entusiasta da prática, ele queria sancionar o texto que saiu da Câmara o mais rápido possível. Só que a sanção virou suicídio político. As coisas já começaram complicadas com o atropelamento do projeto em discussão no Senado. Com isso, os senadores do PMDB começaram a se afastar do Planalto. As palavras sutis escondem um racha brutal que se passa dentro do governo. Para piorar, o Supremo Tribunal Federal (STF) pediu à Câmara informações sobre o projeto aprovado. A proposta, que era do Executivo, tinha um pedido para ser retirada de pauta feito pelo próprio Executivo. Ao mesmo tempo, o Senado corre para aprovar uma proposta alternativa.
Assumindo a responsabilidade
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Francisco Berta Canibal 30/03/2017 07h06min
,Temos provas, uma empresa de Triunfo que vende equipamentos para jardim e pequenas propriedades, trabalha com equipamentos para jardins e pequenas propriedades, emprega 17 pessoas, com sua oficinas e lojas, Envolove mais 40 pessoas tercerizadas, O que os esquerdistas querem é votos, este que é o assunto da tercerização, esta gente não emprega ninguém, vive mamando no governo e não conhece a realidade, então o senado da República viropu piada,,,,,,,,esta que é a realidade,