Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de março de 2017. Atualizado às 22h23.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 06/03/2017. Alterada em 05/03 às 18h58min

Quem governa?

Espanha quebrou. Portugal quebrou. Grécia quebrou. Irlanda quebrou. E falando claramente, a Europa está quebrada, os Estados Unidos também. Mas os bancos estão cada vez mais robustos. Alguém tem dúvidas sobre quem governa o planeta? Eles é que decidem quem continua no poder e quem deve ceder o lugar. O melhor exemplo é Berlusconi. Que reinou como quis até o momento em que recebeu ordem para arrumar as malas. Era um intocável. Era. Mas quem são esses bancos? A quem pertencem? Será que eles não têm face como nos querem fazer crer? Dirão: bancos quebraram, outros fecharam, outros estão agonizantes. Bobagem. Os bancos pulverizados não passam de meros varejistas que são sempre sacrificados para manter as aparências. O grande banco tem nome e endereço e há séculos manipula o sistema a seu bel prazer. É o banco da família Rothschild, que desde o século XIV reina. Seja o governo monarquia ou república, capitalista ou socialista. Até a Alemanha nazista teve que se curvar diante de seu poderio econômico. Ou alguém acha que as guerras se ganham apenas com armas? Não se esqueçam que sem fundos não se compra armamento. O banco da família Rothschild controla também, através de prepostos, a mídia e a indústria de entretenimento. Aliás, essa família é tão poderosa que possui o título de "Guardiã do Tesouro do Vaticano". Quem quiser aprofundar esse texto, basta consultar a História. (Romeu Kerber)
Venda do Banrisul
Nosso Estado, ao longo dos últimos anos, foi perdendo bancos locais, só lhe restando agora o Banrisul. Se o governador José Ivo Sartori (PMDB) e os deputados estaduais sucumbirem à pressão do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, pensando só nos dias atuais, prejudicarão o futuro. Lembrem-se de que perderemos não só os polpudos dividendos que o Banrisul propicia anualmente ao nosso governo, os quais irão para os bolsos dos diretores e acionistas do banco que o assumir, mas também o comando dos financiamentos que ora alavancam empreendimentos locais, através das economias que milhões de gaúchos depositam naquele. Resistam! "Sirvam de exemplo a toda a Terra"! (Adelino Soares, advogado)
Venda do Banrisul II
Em relação à nota Sartori e o Banrisul, do Jornal do Comércio, difícil entender a posição sobre o Banrisul. Os bancos do Rio Grande do Sul - e isto é histórico - todos, pelo pouco que sei, não tiveram sucesso, inclusive o socorro que houve para salvar o Sistema Sul Brasileiro, quando se criou o Meridional. Se o Banrisul é tão importante, por que não financia a folha dos funcionários públicos do Estado? Por não ter recurso ou simplesmente está mais como um emblema dos ufanismos do nosso Estado, que ao longo dos anos só vem prejudicando o desenvolvimento. (Francisco Berta Canibal, Arroio dos Ratos/RS)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia