Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017. Atualizado às 13h37.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 16/02 às 14h41min

Líder do PSDB defende inclusão de parentes de políticos na repatriação

O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC), defendeu que a permissão para que parentes de políticos possam repatriar seja incluída novamente no texto, que agora voltou para análise do Senado. "Não podemos entender por um pré-julgamento que todos os parentes de deputados ou ministros sejam culpados, réus ou acusados de algo. Não é justo e nem correto que, numa lei, se torne impossível a alguém exercer um direito apenas por ser cunhado, tio ou primo de um deputado ou autoridade pública", afirmou.
O senador garantiu que o PSDB vai votar pela manutenção do texto que foi aprovado no Senado no ano passado, ou seja, com a permissão para que parentes de políticos possam repatriar. De acordo com o presidente do PMDB, Eunício Oliveira (CE), a votação deve acontecer na próxima terça-feira (21).
Na quarta-feira (15), a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que reabre o programa de repatriação de recursos de brasileiros no exterior. Entretanto, os deputados incluíram no texto um dispositivo para barrar a participação de parentes de políticos. Por essa razão, o texto voltou ao Senado. Caso aprovado pelos senadores, desta vez, o projeto seguirá para sanção presidencial com as modificações que ocorrerem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia