Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017. Atualizado às 09h53.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

10/02/2017 - 10h53min. Alterada em 10/02 às 10h53min

Avião que transportava Aécio Neves faz pouso de emergência em São Paulo

Agência Brasil
Táxi aéreo alugado pelo partido do PSDB para transportar o senador Aécio Neves, de Brasília para São Paulo, teve de fazer uma aterrissagem de emergência, na noite de ontem (9), depois de apresentar uma pane no trem de pouso. A aeronave, em velocidade reduzida, ultrapassou o limite da pista. Ninguém ficou ferido.
Segundo a empresa que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos, a Gru Airport, o avião chegou no terminal entre as 22h e 22h30min com a solicitação do piloto de prioridade para descer à pista. Além do senador, estavam dois tripulantes e todos desembarcaram sem problemas, e não houve modificação na rotina do terminal.
A empresa de táxi aéreo Líder Aviação, emitiu nota em que afirma que houve indicação de pane, mas sem detalhar o defeito.
Em seu Twinter, o senador Aécio Neves confirmou que ele e os pilotos estavam bem e que sua viagem para São Paulo foi agendada para um encontro com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O tucano revelou que antes da viagem esteve com o ex-ministro Alexandre Moraes, que, na ocasião, informou ter encaminhado pedido de desfiliação do PSDB.
Como determina a Constituição, Moraes tem de formular esta desvinculação parlamentar para assumir o posto de ministro do Supremo Tribunal Federal indicado pelo presidente Michel Temer, para substituir o ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em Paraty (RJ) no último dia 19 de janeiro. Essa indicação e também o afastamento dele do cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública, já estão publicados no Diário Oficial da União.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Leia também
Corpo de Marisa é velado e cremado em São Bernardo
Lula diz que dona Marisa morreu triste pela 'canalhice e pela maldade' que fizeram contra ela SÃO PAULO, 4 (AG) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que sua mulher, Marisa Letícia, morreu triste e foi vítima de atos de "canalhice" e "imbecilidade". Em discurso feito no final do velório da ex-primeira-dama, ele afirmou estar com a consciência tranquila e que não precisa provar que é inocente. - Marisa morreu triste pela canalhice que fizeram com ela e a imbecilidade e a maldade que fizeram com ela...Tenho 71 anos e vou viver muito, espero, e quero provar que os facínoras que levantaram leviandades contra a Marisa tenham a humildade de pedir desculpas a ela - disse, durante velório realizado no salão nobre do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo. Lula reafirmou que não tem medo de ser preso e quem o acusa é que precisa juntar provas contra ele. - Se alguém tem medo de ser preso, quero dizer que esse que está enterrando a sua mulher não tem. Tenho consciência tranquila. Tenho certeza da consciência e do trabalho da minha mulher. Não sou eu que tenho que provar que sou inocente. Eles que precisam provar que as mentiras que eles estão contando são verdade. Querida companheira Marisa, descanse em paz, porque o seu "Lulinha Paz e Amor" vai continuar brigando muito - afirmou, ao se despedir da mulher. Ao fundo do salão do sindicato foi colocada uma foto de Lula e Marisa juntos. Ao lado do caixão da mulher, Lula afirmou que sempre irá agradecê-la e lembrou que foi ele quem escolheu o vestido com que ela estava sendo enterrada. - Eu vou continuar agradecendo a Marisa até o dia que eu não puder mais. Até o dia que eu morrer e espero encontrar com ela com esse mesmo vestido que eu escolhi para colocar nela, vermelho, para mostrar que a gente não tinha medo de vermelho quando era vivo e não vai ter morto. Ela está com uma estrelinha do PT no seu vestido e eu tenho orgulho desta mulher - disse o ex-presidente. Emocionado, lembrou que dona Marisa ajudou a angariar fundos para partido na época de sua fundação vendendo camisetas e outros itens nas ruas de São Bernardo, berço político do partido. - Ela ficava na praça Matriz com outras companheiras vendendo bandeiras para ajudar a construir o partido que a direita quer destruir - disse. Ao fim do discurso, Lula recebeu aplausos e ouviu palavras de ordem como "Marisa guerreira da pátria brasileira" e "Lula guerreiro do povo brasileiro". O ex-presidente chorou muito e foi interrompido por um bispo que participou do culto ecumênico, que pediu que ele descanse a partir de amanhã. - O Brasil precisa muito de você. No início da cerimônia ecumênica, que reuniu representantes da Igreja Católica, protestante e umbandistas, foi exibido um vídeo que mostrava declarações de Lula e Marisa sobre o início do relacionamento dos dois. Eles eram casados há 43 anos. Uma outra cerimônia reservada à família será realizada no Cemitério Jardim das Colinas, também em São Bernardo, onde será realizada a cremação.