Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 05 de fevereiro de 2017. Atualizado às 21h43.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 06/02/2017. Alterada em 05/02 às 19h40min

Vinho brasileiro na taça

Paulo Kronbauer
Após a 24ª Avaliação Nacional de Vinhos, edição 2016, realizada em Bento Gonçalves, peregrinei por algumas vinícolas da região. Um roteiro preestabelecido, com o desejo de fazer muitas anotações para registro no blog almadovinho.com.br, permitiu-me conhecer as preciosidades viníferas produzidas, no Vale dos Vinhedos e Pinto Bandeira, dois terroirs gaúchos bem típicos. Com direito a degustação, explicações detalhadas e posterior aquisição de vinhos e espumantes.
A Avaliação Nacional de Vinhos, considerada evento sem similar no mundo dos vinhos, teve a participação de mais de 900 pessoas (enólogos, enófilos, jornalistas, formadores de opinião) e comprovou novamente que os vinhos nacionais vêm galgando qualidade, inobstante as intempéries climáticas (geadas fora de época e chuvas excessivas). O megaevento "tem o caráter de reter o produtor no campo, diga-se, nos vinhedos", segundo o secretário de Turismo de Bento Gonçalves, representando o prefeito municipal. Este e outros eventos organizados pelas diversas entidades do setor vitivinícola servem essencialmente para valorizar o vinho nacional e têm caráter didático para os aficionados e participantes leigos.
O consumidor de vinho rejeita os vinhos brasileiros, queixando-se do alto preço que estaria pagando pelo produto nacional. Mas e os produtos estrangeiros, que entram no mercado brasileiro a preços exorbitantes e, alguns, com qualidade duvidosa? Enquanto isto, a média brasileira de consumo se mantém em 2,0 litros/pessoa, deixando-nos distantes da média de outros países, com índices bem mais elevados.
Degustador
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia