Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de fevereiro de 2017. Atualizado às 13h21.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

gastronomia

18/02/2017 - 13h21min. Alterada em 18/02 às 14h26min

Bela Gil dá a receita da marmita ideal: arroz, feijão e legumes

Bela esteve em Porto Alegre para lançar seu último livro, Ingredientes do Brasil

Bela esteve em Porto Alegre para lançar seu último livro, Ingredientes do Brasil


PEDRO BRAGA/JC
Simpatia não falta à filha de Gilberto Gil e muito menos dicas bem basiquinhas para satisfazer a necessidade diária de nutrientes. Bela Gil, chef de cozinha, escritora e apresentadora de um dos programas mas badalados de culinária na linha 'saudável' e baseada em vegetais, conversou com o colunista Ivan Mattos no seu Olha Só! , que mostra o que rola de interessante na cena cultural de Porto Alegre, e deu a receita da marmita ideal: "Arroz, feijão e legumes. É perfeito!", avisou ela.
Bela acaba de lançar seu último livro, Ingredientes do Brasil. Na Capital, o palco foi a Livraria Saraiva, do Shopping Iguatemi. Mattos bateu um bom papo com a chef, que falou até das influências do Movimento Tropicalista, que teve o pai na linha de frente. "Acho que tem um pouco. Se pensar o que aconteceu na época deles, eu não sou nada (risos), perto do vanguardismo e da ousadia... Mas acho que sim, sou uma aprendiz tropicalista." Confira a íntegra:
Olha Só! - Como é que nós, gaúchos, que adoramos um bom churrasco, podemos fazer para adaptar as tuas receitas para os ingredientes locais?
Bela Gil - Engraçado tu perguntar isso, porque muita gente acha que ter uma alimentação mais à base de plantas, frutas, verduras, é mais difícil aqui no Sul por causa da cultura da carne. Mas não é difícil. Fiquei super feliz e contente de ter essa cultura de 'vamos comer mais vegetais' aqui. Pelo menos na 'minha turma', digamos assim, encontro isso bastante.
Olha Só! - Tu achas que podemos partir do teu livro e adaptar para os ingredientes locais?
Bela Gil - Com certeza, esta é a questão. Nos livros faço a brincadeira: você pode substituir. O livro quer falar com o brasileiro e, obviamente, tem receitas que levam o feijão fradinho, azeite de dendê, que são típicos do Nordeste, mas que posso buscar alternativas. No meu programa, faço receitas como a farofa de pinhão, que é bem típico daqui. Por exemplo, se estou fazendo um patê de caroço de jaca - receita que está no livro e que é maravilhoso e tem manjericão -, aqui você pode substituir o caroço de jaca pelo pinhão, porque são super parecidos. Então, é uma maneira legal também de trabalhar com a criatividade, explorando e valorizando os ingredientes regionais. Quero que as pessoas pensem: 'Ah, eu não tenho a farinha de mandioca aqui ou o polvilho, então posso usar amido de milho ou farinha de fubá'. É essa brincadeira que eu quero que a pessoa faça.
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/02/18/206x137/1_bela_gil-1476175.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'58a8639740424', 'cd_midia':1476175, 'ds_midia_link': 'http://jcrs.uol.com.br/_midias/jpg/2017/02/18/bela_gil-1476175.jpg', 'ds_midia': 'Patê de jaca ', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': 'Patê de jaca ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '100%', 'cd_midia_, 'align': 'Left'}
 Na receita do patê de jaca, o caroço da fruta pode ser substituído por pinhão. Foto Jonathan Heckler/JC
Olha Só! - A gente vê que tu estás conseguindo modificar e transformar a alimentação dos brasileiros. Como tu te sentes fazendo isto?
Bela Gil - Me sinto muito bem. Uma vez me perguntaram qual era o meu objetivo. O meu objetivo mesmo é fazer as pessoas felizes, conseguir fazer com que elas se sintam bem. Sinto que há um tempinho planei uma sementinha na cabeça de cada um que me ouviu ou me assistiu. Hoje eu recebo muitos e-mails de pessoas que falavam: 'Nossa Bela, eu olhava você na TV e mudava de canal porque achava um absurdo e hoje não consigo viver sem meu leite de coco de manhã, ou meu leite de amêndoas, ou a biomassa de banana. Então, muito obrigada, acho que, naquela época, eu não estava pronta para te ouvir, para receber os teus conhecimentos'. Então, eu acho que a sementinha foi plantada e os frutos a gente está colhendo e vai continuar colhendo.
Olha Só! - Não posso deixar de me referir ao teu pai (Gilberto Gil). Tu consideras o teu trabalho um pouco tropicalista?
Bela Gil - Ah, acho um pouco. Querendo ou não. Se pensar o que aconteceu na época deles eu não sou nada (risos), perto do vanguardismo e da ousadia...
Olha Só! - Mas pode ser uma pequena revolução o que tu estás fazendo na culinária.
Bela Gil - É, eu acho que sim. Acho que eu sou uma aprendiz tropicalista (risos, risos).
Olha Só! - As pessoas levam muito hoje a própria marmita ao trabalho. O que tu consideras que seria saudável para levar ao meu trabalho, para o dia?
Bela Gil - Arroz, feijão e legumes? Perfeito! É o prato básico do brasileiro que não deveria sair nunca do nosso prato.
Olha Só! - Dizem que o arroz e feijão é a combinação mais perfeita que existe.
Bela Gil - É maravilhosa porque substitui a carne perfeitamente em termos de proteína, tem todos os aminoácidos que a gente precisa. Muita gente acha que a alimentação saudável é um mistério, é cara e é difícil. Arroz, feijão e legumes está ótimo!
Olha Só! - E uma saladinha tá bom né ...
Bela Gil - E uma saladinha fresquinha, se quiser com folhas maravilhosas, quanto mais verde escura melhor, muita couve, taioba, azedinha, caruru do mato, essas plantas que a gente não dá muito valor, que estão ali no meio do mato, são maravilhosas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia