Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de fevereiro de 2017. Atualizado às 11h13.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

transportes

09/02/2017 - 12h15min. Alterada em 09/02 às 12h15min

Prefeitura cria site para detalhar composição da passagem de ônibus

Prefeitura estuda rever gratuidades para reduzir o valor da tarifa

Prefeitura estuda rever gratuidades para reduzir o valor da tarifa


CLAITON DORNELLES/JC
A prefeitura de Porto Alegre criou um site para divulgar a composição da tarifa das passagens de ônibus da Capital. A plataforma, desenvolvida pela Procempa, detalha o cálculo dos valores e o perfil dos usuários.
Em consulta prévia sobre o aumento das tarifas feita pela prefeitura junto à Associação de Transportadores de Passageiros (ATP), os empresários sugerem um valor de R$ 4,30 para a passagem. Já a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) apresentou três cálculos distintos, com valor máximo de R$ 4,05. Hoje, a passagem custa R$ 3,75 nos ônibus e R$ 5,60 nas lotações.
As isenções, segundo os dados do site, representam 35% no valor total da passagem. A prefeitura estuda rever algumas das gratuidades em vigor atualmente, como o benefício da segunda passagem e a isenção para as viagens dos idosos, para reduzir o valor da tarifa. 
A prefeitura informa que a composição da tarifa respeita os critérios estabelecidos nos contratos firmados a partir da licitação do transporte coletivo por ônibus, realizada em 2015. A concorrência foi dividida em seis lotes, conforme as regiões da cidade: lotes 1 e 2 (bacia Norte/Nordeste), lotes 3 e 4 (bacia Sul), lotes 5 e 6 (bacia Leste/Sudeste). O sistema é operado atualmente por quatro consórcios, integrando 12 empresas, e pela Carris.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia