Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de fevereiro de 2017. Atualizado às 21h38.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

acidente

Alterada em 08/02 às 22h41min

Empresa proprietária da área que incendiou em Cidreira é notificada

A Defesa Civil afirmou em nota que durante o processo houve a constatação de que os danos causados se dão entre 900 e 1200 hectares da área florestal

A Defesa Civil afirmou em nota que durante o processo houve a constatação de que os danos causados se dão entre 900 e 1200 hectares da área florestal


FEPAM /SEMA/DIVULGAÇÃO/JC
Os técnicos do Balcão Ambiental Unificado Sema/Fepam do Litoral Norte realizaram a fiscalização nesta quarta-feira (8) do incêndio iniciado no último domingo (5) no município de Cidreira. No momento da vistoria, a empresa estava com todas as suas equipes na área em operação atuando com os Bombeiros no combate.
A operação resultou na notificação da empresa Habitasul, proprietária da área. A empresa deverá entregar, num prazo de 30 dias, um relatório contendo todas as medidas executadas e propostas para minimização do impacto ao término do incêndio.
A Defesa Civil afirmou em nota que durante o processo houve a constatação de que os danos causados se dão entre 900 e 1200 hectares da área florestal. Mas que seguirão monitorando a situação até a normalização total do território afetado.
Sobre a presença de uma fumaça escura com fuligem acredita-se que em função do vento forte na região afetada, houve a ampliação da área atingida pelas chamas. Algumas partículas foram depositadas e dispersas na orla pela maré atingindo outros municípios.
Os técnicos do Balcão Ambiental Unificado Sema/Fepam do Litoral Norte seguem monitorando toda a região para colher informações e compatibilizar com as informações recebidas da empresa. Foi pedido que a população se mantenha longe da área afetada para se proteger.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia